Chama-se "Libelinha" e em 2026 vai para Titã à procura de vida

Missão está incluída no programa New Frontiers e pretende enviar o drone "Dragonfly" para a maior lua de Saturno.

Chama-se Dragonfly (libelinha em português), é um drone da NASA e tem como destino a maior lua de Saturno, Titã. A NASA anunciou esta quinta-feira uma nova missão, que parte em 2026, e tem como objetivo explorar o sistema solar em busca de pistas sobre a origem da humanidade.

"É com orgulho que anuncio a nossa próxima missão New Frontiers, a Dragonfly, que vai explorar a maior lua de Saturno, Titã", disse o administrador da NASA, Jim Bridenstine em videoconferência citada pela Reuters.

O Dragonfly é um drone do tamanho de um carro de golfe com quatro propulsores que vai embarcar numa missão de oito anos. A visita a Titã justifica-se com as desta lua de Saturno, que são semelhantes às da jovem Terra e apresenta, por isso, potencial para investigar as origens da vida.

O drone vai utilizar energia nuclear e será o primeiro com capacidade para atravessar os mais de 160 quilómetros de atmosfera espessa que Titã apresenta. "Não há mais nenhum lugar assim no nosso sistema solar, sendo que é o mais comparável à Terra nos seus primórdios", acrescentou Bridenstine​. Sobre os pormenores da missão, o administrador explicou que os instrumentos vão avaliar a habitabilidade de Titã e procurar assinaturas químicas de antigas ou até atuais formas de vida.

A missão Dragonfly é a quarta do programa New Frontiers, uma série de missões que inclui a sonda New Horizons, enviada em 2006 para Plutão e a ​​​​​​​OSIRIS-REx, lançada em 2016 para estudar o asteróide Benny.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados