Designer cria cápsula capaz de transportar pessoas por terra, mar ou ar. Veja os vídeos

Stratosfera não é um carro, não é um avião, nem tão pouco um barco. Veja as imagens.

A futurística Stratosfera é a mais recente criação do atelier de Pierpaolo Lazzarini. Trata-se de uma cápsula elétrica com capacidade para transportar duas pessoas e pode ser utilizada para todas as viagens, tanto em terra firme como por ar ou mar.

A Stratosfera não é um carro, não é um avião, nem tão pouco um barco. E é tudo isto em simultâneo. Confuso? O criador Pierpaolo Lazzarini explica o que é.

"É antes de tudo um habitáculo adaptável às necessidades de transporte. Pode ser aquático, com um leme e oito hélices de propulsão elétrica. Com os oito motores em contra rotação transforma-se num drone de última geração. Ou seja, num meio aéreo. É por isso que lhe chamamos stratosfera volátil", explica à TSF Pierpaolo Lazzarini.

Com quatro rodas pode andar em terra e um contra peso montado na parte inferior ajuda a manter a manter o equilíbrio dentro de água. A versão aquática atinge os 55 quilómetros hora. No ar chega aos 250 e dá para duas pessoas. O acesso ao luxuoso interior é feito pela porta de vidro que ocupa toda a frente, mas não é para brincadeiras.

"É só um meio de transporte utilizado como diversão, torna-se perigoso - sobretudo a versão voadora se utilizada em cidades, portanto é só um meio de transporte", ressalva o criador.

O ultraleve tem um metro e sessenta e cinco de diâmetro e é feito em fibra de carbono. O projeto ainda não saiu do estirador, por enquanto é só um modelo matemático. O italiano ainda está a tentar juntar o dinheiro para concluir o trabalho de engenharia.

"Precisamos de dois milhões para a versão aquática e de oito para a versão voadora", afirma Pierpaolo Lazzarini.

Contas feitas, são dez milhões de euros só para a fase de desenvolvimento. Os primeiros protótipos devem ser construídos em meados do próximo ano, mas por enquanto ainda não estão reunidas as condições de produção deste veículo da modernidade.

"Se fizermos 100 terá um custo inusitado. Se fizermos mil terá um preço mais moderado, mas ainda assim não será acessível a todos. No entanto, se for estandardizado, ou seja, produzido em massa, pensamos que deve custar entre 25 mil dólares para a versão aquática e 100 mil para a versão aérea."

Quando nascer não vai ser para todos.

Outra criação de Lazzarini é a jet capsule. Um iate compacto com nove metros e meio de comprimento e espaço para 20 passageiros. Só é feita por encomenda. E apesar de custar entre meio milhão e um milhão de dólares já foram construídas nove. Compradores da Rússia, da China ou da Índia que se deixam enfeitiçar pelos encantos desta mercadoria.

"Provavelmente é uma necessidade ou uma paixão pelo que é diferente. Por qualquer coisa de único, que vai para lá da normalidade. Hoje em dia, até um ferrari é um objeto normal, como um iPhone ou um telemóvel", reforça o inventor da futurística Stratosfera.

O italiano desenhou também o Prodigium. Um iate inspirado nos sumptuosos palácios romanos que, se chegar a ver a luz do dia, vai custar 600 milhões de euros. Mas não se fica por aqui. Há também pirâmides que são afinal casas modulares. Juntas podem constituir uma cidade ou um condomínio de dez andares. As primeiras vão começar a flutuar em breve em Singapura.

"Trabalhamos na área naval e na arquitetura, fundamentalmente, que é onde há mais por onde desenvolver", justifica.

Apesar de tudo, o inventor italiano reconhece que há um pouco de loucura naquilo que faz.

"Admito que que estamos na fronteira entre a ficção científica e o possível, mas sempre dentro dos limites do fazível. Nada é impossível, exceto viver eternamente", diz Pierpaolo Lazzarini.

Ainda assim, Pierpaolo Lazzarini garante que não é um Da Vinci do século XXI.

"Não. Não me vejo como um Leonardo, mas gosto de imaginar - seja na mobilidade seja na arquitetura - soluções cómodas para o futuro", acrescenta o inventor italiano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de