Eclipse solar total deixa Antártida às escuras. Veja as imagens

O fenómeno na sua totalidade só esteve visível na Antártida, mas foi possível observar um eclipse solar parcial em outros locais como Namíbia, Lesoto, África do Sul, Chile, Nova Zelândia e Austrália.

Às escuras. Foi assim que ficou a Antártida depois de um eclipse solar total, no passado sábado. O "raro espetáculo astronómico" foi testemunhado por diversos cientistas e especialistas no assunto. A fase do "anel de fogo" durou pouco mais de 40 segundos.

A totalidade do eclipse solar foi apenas visível na Antártida. Segundo a AFP, o fenómeno teve início às 07h00 (horário de Lisboa), quando a Lua começou a mover-se em frente ao Sol, e terminou às 08h06.

O eclipse solar parcial foi, no entanto, visível em outras partes do mundo, como Namíbia, Lesoto, África do Sul, Chile, Nova Zelândia e Austrália.

De acordo com a NASA, "um eclipse solar acontece quando a Lua se move entre o Sol e a Terra, lançando uma sombra na Terra, bloqueando total ou parcialmente a luz do Sol em algumas áreas". Para o fenómeno ser possível, o Sol, a Lua e a Terra devem estar alinhados.

"O céu fica muito escuro, como se fosse amanhecer ou anoitecer. Se o tempo permitir, as pessoas podem ver a coroa solar e a atmosfera externa, que normalmente fica obscurecida pela face brilhante do sol", explica a Agência Espacial Norte-Americana.

O último eclipse solar total na Antártida ocorreu a 23 de novembro de 2003 e o próximo está programado para depois de 2039.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de