Estudo prevê que veículos elétricos acabem com a era do petróleo

Os países emergentes, encabeçados pela China, já estão a liderar a transição verde para veículos elétricos, o que provocará uma queda acentuada na procura de petróleo bruto e porá fim à "era do petróleo".

A conclusão é de um estudo publicado esta sexta-feira pelo laboratório de ideias Carbon Tracker, que calcula que a mudança de modelo poderá gerar uma poupança anual de até 250 mil milhões de dólares (211,2 mil milhões de euros) nos mercados até 2030, o que poderá significar que o aumento da procura global de petróleo será 70% inferior ao previsto.

Nas atuais condições, a análise feita estima que mais de 80% do crescimento da procura global de petróleo até 2030 virá das necessidades do setor dos transportes nos países emergentes, sendo que cerca de metade desta percentagem será proveniente da China e da Índia.

O Carbon Tracker acentua que ambos os países estão a reduzir drasticamente a sua dependência de petróleo e se encontram a promover fortemente os veículos elétricos, cujos preços já se aproximam dos preços dos motores a diesel e a gasolina.

A China é líder mundial no desenvolvimento de veículos elétricos, uma estratégia que também está a ser seguida pela Índia, observa o relatório hoje divulgado.

"Esta é uma escolha simples entre a crescente dependência do que tem sido o petróleo caro, produzido por um cartel estrangeiro, e a eletricidade nacional, produzida por fontes renováveis, cujos preços estão em queda constante. Os importadores nos mercados emergentes vão acabar com a era do petróleo", salienta, em comunicado, o autor principal do estudo, Kingsmill Bond.

A maioria dos governos nos mercados da China, Índia, Sudeste Asiático e em quase toda a África têm implementados "fortes incentivos" para "eletrificar os seus sistemas de transporte", uma vez que 68% das suas importações de petróleo anuais vão para esse setor.

Bond salienta que com a poupança de 250 mil milhões de dólares por ano acima referida, estes países poderiam "poupar" para financiar as infraestruturas necessárias para eletrificar os seus sistemas de transporte.

Juntamente com os benefícios económicos estão os da saúde pública, uma vez que a poluição causada pelos transportes rodoviários causa 285.000 mortes por ano nestes mercados emergentes, das quais 114.000 ocorrem na China e 74.000 na Índia, de acordo com os números do Conselho Internacional sobre Transportes Limpos.

Entre os fatores que estão a facilitar esta transição verde está também o facto de as baterias elétricas se terem tornado mais baratas, com os preços a cair 20% desde 2010.

O Carbon Tracker prevê que "nos próximos anos" o seu preço cairá de 135 dólares por quilowatt hora (KWh) para 100 dólares por KWh, o que igualará o custo de compra de um veículo convencional ao de um elétrico, enquanto este último seria ainda mais barato em 2030.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de