Google vai adotar mais controlo e privacidade nas cookies

A Google está há seis anos a trabalhar numa nova política de cookies, mas o processo acelerou desde que as preocupações com a privacidade no Facebook estalaram a polémica sobre a utilização dos dados armazenados.

A Google, da Alphabet Inc, vai lançar uma função parecida com um painel no seu browser Chrome para oferecer aos utilizadores mais controlo nas cookies, que analisam as preferências de quem acede aos sites.

As cookies são pequenos arquivos usados ​pelos anunciantes, de forma a segmentar os consumidores de acordo com interesses específicos relativos às suas pesquisas e navegação.

Embora não seja provável que as novas ferramentas da Google reduzam significativamente a capacidade de armazenar dados, a medida ajudaria a empresa a ampliar vantagem sobre os rivais na publicidade online, segundo a agência Reuters.

Os três mil milhões de utilizadores da Google ajudam a torná-la a maior divulgadora de anúncios na internet, ao captar quase um terço de toda a receita, acima dos 20% do rival Facebook, de acordo com a empresa de pesquisa eMarketer. O total de gastos com publicidade digital nos Estados Unidos crescerá 19%, para quase 130 mil milhões de dólares [116 mil milhões de euros], em 2019, segundo o mesmo site.

A Google tem vindo a trabalhar no novo modelo de cookies desde há, pelo menos, seis anos, entre avanços e recuos, mas acelerou o trabalho depois das notícias divulgadas em 2018, que davam conta de que os dados pessoais dos utilizadores do Facebook eram partilhados de maneira imprópria com o Cambridge Analytica.

A empresa prefere cookies instaladas por empresas terceiras que buscam lucro, independentes da empresa que detém o site que o utilizador visita frequentemente. A Apple Inc cancelou a maioria das cookies no browser por padrão, Safari, em 2017, e o Firefox, da Mozilla, fez o mesmo um ano depois.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de