Três objectivas da Sigma que são boas e baratas

Qualquer fotógrafo ou videógrafo que se preze dirá que as objectivas que são incluídas nos kits das câmaras fotográficas não são grande coisa. Solução? Comprar uma melhor. E a Sigma tem propostas bem interessantes.

A marca japonesa é um dos nomes mais famosos no mundo da fotografia no que diz respeito a objectivas de alta qualidade. Com a linha Contemporary o que a Sigma quis foi aliar essa qualidade a um produto com um preço mais acessível.

E mesmo dentro só dessa gama (a Sigma tem ainda a linha Art e a Sports) a variedade é grande. Cinco são capazes de fazer zoom, mas neste artigo espreitamos as outras três. As que têm uma distância focal fixa e que obrigam o fotógrafo a "fazer zoom com os pés". Vamos andando?

SIGMA 16mm f/1.4 DC DN

Esta é a grande-angular da linha Contemporary. Aqui a ideia não passa tanto pelo zoom, mas mais por enfiar numa só fotografia o maior espaço possível e sem grandes distorções. Uma selfie com os amigos à mesa durante um jantar? O ambiente de uma rua? Fotografar uma quarto para mostrar no Airbnb? Uma paisagem numa reserva natural? Um edifício monumental? É esta a lente que permite tirar todas essas fotos.

E o segredo para toda essa amplitude está na distância focal de 16mm. Quanto menor for este número, mais "paisagem" cabe na imagem. Na verdade estes 16mm representam um valor tão baixo que há quem fale mesmo numa ultra-grande-angular.

Ainda uma curtíssima explicação sobre os outros números que estão no nome da lente: o f/1.4 está relacionado com a abertura máxima do diafragma da lente. Em teoria, quanto mais baixo for este número melhor. Na prática, o que ele quer dizer é que a objectiva consegue tirar melhores fotos em condições de pouca luz do que uma objectiva, por exemplo, cuja abertura máxima do diafragma não baixa dos f/3.5.

Gostei bastante desta objectiva. A Sigma 16mm f/1.4 DC DN é leve (embora grande demais), tira fotos espantosas porque cabe imensa coisa numa só fotografia (por exemplo: pôr o Coliseu de Roma todo numa imagem, não é para todas as lentes) e consegue focar de uma forma muito silenciosa, mesmo enquanto está a fazer vídeo.

Sigma 56mm f/1.4 DC DN

Estes 56 milímetros de distância focal atiram esta objectiva para o campo das tele, mas sem exageros. E por lentes tele entenda-se: lentes capazes de fotografar a distâncias razoáveis do sujeito.

É ótima para fazer retratos porque se pode estar longe do retratado: o protagonista não se sente invadido e fica muito mais à vontade. E depois, graças aos f/1.4, consegue-se desfocar imenso o fundo e o sujeito da foto ganha imenso destaque.

A relação qualidade/preço é muitíssimo boa. E só é pena que não possa ser usada à chuva. Um dado, aliás, que se repete por todas as outras objectivas da linha Contemporary da Sigma.

SIGMA 30mm f/1.4 DC DN

Para quem (como eu) tem uma câmara Sony com um sensor APS-C, ter uma lente com esta distância focal é absolutamente necessário. Foi por isso que, depois de ter experimentado as objectivas que estão ali em cima, acabei por comprar esta.

É bestial.

Continuar a ler