Meteoro passa muito perto da Terra. Bola de fogo explodiu e iluminou céu da Florida

Duas centenas de pessoas testemunharam a explosão luminosa nos céus dos Estados Unidos da América. O debate sobre a origem do corpo celeste está aceso.

A American Meteor Society assinalou-o como o evento 2281-2021, o nome em código para um fenómeno raro ocorrido na noite de segunda-feira: a passagem de uma bola de fogo a uma grande proximidade da Terra (a aproximadamente 14967 km).

O meteoro iluminou os céus no estado da Florida, e desde as Bahamas a Jacksonville, centenas de pessoas captaram o rasto de luz, deixado nos céus às 22h19 (quando eram 03h19 em Portugal), adiantou o jornal The Guardian. Na ilha Grand Bahama, os residentes dizem ter ouvido um "estrondo sónico" e sentiram também um tremor, mas o fenómeno não terá sido ouvido em mais nenhum local.

Uma equipa de televisão em West Palm Beach conseguiu gravar o objeto celeste enquanto percorria o céu. Já um morador de Parkland registou o momento através de uma câmara de vigilância. Vários outros residentes carregaram fotografias do evento na base de dados da American Meteor Society.

Alguns especialistas acreditam tratar-se do asteroide 2021 GW4, que foi detetado pela primeira vez pelos astrónomos há cinco dias no Arizona. O corpo celeste movia-se nessa altura "perigosamente perto" de satélites na órbita da Terra. O 2021 GW4 tem o tamanho aproximado de um carro pequeno e teria ardido na atmosfera da Terra. A menos de um quinto da distância da Terra à Lua, o asteroide seria uma das passagens mais prováveis nos últimos tempos.

Outros cientistas defendem que o objeto luminoso seria um pedaço do asteroide. O astrónomo Jonathan McDowell alegou que o corpo celeste era uma bola de fogo comum e rejeitou a referência ao GW4.

Os meteoros penetram na camada externa da atmosfera terrestre a uma velocidade de 40.230 km/h a 257.500 km/h. Quando encontram a resistência do ar, as bolas de fogo desaceleram. A fricção resultante das duas forças, uma aceleração e uma forma de atrito, liberta grandes quantidades de calor. Nessa altura, o meteoro pode arder e começar a brilhar.

A American Meteor Society estima que o percurso deste meteoro tenha sido de Norte para Sul, atravessando a costa atlântica da Florida e o extremo Oeste da ilha Grand Bahama. É possível que alguns pedaços do meteoro se tenham libertado e atingido a superfície - tornando-se meteoritos -, mas também é provável que os resíduos tenham caído no oceano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de