NASA transmite a primeira ida à Lua em direto, com imagens restauradas. Veja o vídeo

No dia em que marcam 53 anos desde o momento em que Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins deram um pequeno passo "gigante para a humanidade", a NASA transmitiu em direto imagens remasterizadas do momento dos primeiros passos na Lua.

A data de 20 de julho de 1969 ficará para sempre marcada na História. Neil Armstrong fez o que muitos pensavam ser impossível e pisou a Lua, quatro dias depois do lançamento Apolo 11, o nome do voo espacial que também transportou Buzz Aldrin e Michael Collins.

Esta quarta-feira, marcam-se 53 anos desde o feito que, para muitos, foi o mais impressionante de todo o século XX. Armstrong, após deixar a primeira marca em solo lunar, também considerou o momento "um pequeno passo para o Homem, mas um salto gigante para a humanidade".

O momento foi um dos primeiros eventos transmitidos a larga escala através da televisão, mas os próprios astronautas quiseram registar todos os segundos da estadia com meios próprios. Neil Armstrong e Buzz Aldrin tiraram fotografias, filmaram, executaram uma série de experiências programadas, recolheram amostras e ainda aproveitaram para instalar instrumentos científicos no solo - detetores de sismos, impactos de meteoritos e eventuais erupções vulcânicas.

Pelo meio, ainda houve espaço para um telefonema, diretamente da Sala Oval da Casa Branca, em Washington. O então presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, felicitou os astronautas e exaltou que "o orgulho sentido pelos norte-americanos neste dia é partilhado por toda a humanidade".

A Lua, ao ser visitada, ofereceu imagens nunca antes vistas, mas os tripulantes do Apolo 11 também quiseram deixar uma lembrança: por lá ficou uma placa metálica assinada por Michael Collins, Edwin 'Buzz' Aldrin, Neil Armstrong e Richard Nixon. "Aqui, homens do planeta Terra pisaram a Lua pela primeira vez em julho de 1969. Viemos em paz e por toda a humanidade", pode ler-se.

Em tensão perpétua, sem vento para ondular, ficou também a bandeira dos Estados Unidos.

O Oceano Pacífico foi o destino final da missão. Às 12h35 o módulo de comando iniciou a reentrada na atmosfera e minutos depois amarou a 825 milhas náuticas de Honolulu, no Havai. Na ilha que os recebeu, a tripulação do Apollo 11 preencheu uma declaração dos serviços de imigração e alfandegários do Havai como piada. Têm a declarar 22 quilos de carga composta por "rochas lunares e amostras de pó lunar". Se têm doenças fica "por determinar".

Foi preciso esperar, mas, após quarentena, foi hora de receber os heróis que desvendaram mais uma pequena parte de um grande mundo que falta descobrir.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de