Nobel da Medicina atribuído a cientistas que descobriram o vírus da Hepatite C

Este é o primeiro prémio Nobel a ser anunciado este ano.

O prémio Nobel da Medicina foi atribuído, esta segunda-feira, a três cientistas pela descoberta do vírus da Hepatite C, anunciou a academia.

O galardão foi atribuído aos cientistas norte-americanos Harvey J. Alter e Charles M. Rice e ao britânico Michael Houghton.

Este é o primeiro dos Nobel a ser anunciado este ano, seguindo-se nos próximos dias os galardões relativos à Física, Química, Literatura, Paz e Economia.

"Foi um ato muito inteligente da academia Nobel"

Rui Tato Marinho é médico, presidente da Sociedade Portuguesa de Gastroenterologia, lida há vários anos com as questões da Hepatite C e explica a ligação entre a Covid-19 e esta doença.

"Foi um ato muito inteligente da academia Nobel. Já esperávamos este Prémio Nobel há alguns anos porque, na verdade, estamos a falar de dois vírus que ameaçam a saúde mundial e o planeta, como foi a Hepatite C e agora, de um modo mais marcado, a Covid. Foi das descobertas mais marcantes - se não mesmo a mais marcante - a que assisti ao longo de quase 30 anos como médico", explicou à TSF Rui Tato Marinho.

Apesar dos avanços dos últimos anos, a Hepatite C ainda não é um vírus controlado no mundo.

"Não é um vírus controlado ainda. Um dos objetivos da Organização Mundial de Saúde é eliminar a Hepatite C como um problema grave de saúde pública até 2030, portanto temos ainda dez anos. O número de casos, neste momento, está muito reduzido em relação àquilo que era há uns anos mas, apesar de tudo, ainda são 70 milhões", acrescentou o médico.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de