O Tesla conduz sozinho? Vídeo que anunciava nova tecnologia nos carros foi encenado

Alvo de um processo em tribunal após inúmeros acidentes relacionados com o sistema de piloto automático, a Tesla é acusada de publicidade enganosa que pode ter induzido em erro muitos condutores.

Em 2016, a Tesla anunciava ao mundo a maior inovação tecnológica na indústria automóvel das últimas décadas: carros capazes de conduzir sozinhos. Sem ressalvas, asteriscos ou letras pequeninas. Um vídeo publicitário divulgado pela marca nesse ano começava com uma nota prévia: "A pessoa no lugar do condutor só lá está por motivos legais. Não está a fazer nada. O carro está a conduzir sozinho". Afinal não era bem assim.

O vídeo mostra o carro Model X a fazer coisas para as quais o sistema não estava programado, revela o responsável pelo software de piloto automático, Ashok Elluswamy, num testemunho em tribunal na sequência de um acidente mortal que motivou um processo contra a empresa, em 2018.

Nas declarações transcritas pelo tribunal, a que a agência Reuters teve acesso, o engenheiro da Tesla explica que a sua equipa recebeu ordens do CEO e fundador Elon Musk para criar um vídeo que "demonstrasse as capacidades do sistema".

"A intenção do vídeo não era demonstrar exatamente o que estava disponível para os consumidores em 2016, mas mostrar o que era possível construir no sistema", justificou.

Full Self-Driving Hardware on All Teslas from Tesla on Vimeo.

Todo o vídeo foi encenado, longe do que seria um cenário real de condução. O circuito foi programado com ajuda de um mapa 3D, desde uma casa em Menlo Park, na Califórnia, até à localização da sede da Tesla à época, em Palo Alto, e o condutor teve de intervir várias vezes.

O sistema não estava sequer preparado para que o carro parasse num sinal vermelho e avançasse no verde, como se mostra no vídeo. E ao tentar mostrar que podia estacionar sozinho, já com o condutor fora do carro, o Model X de testes embateu contra uma vedação no parque de estacionamento da Tesla, conta Ashok Elluswamy.

No entanto, quando o vídeo foi divulgado, Elon Musk descreveu-o da seguinte forma no Twitter: "O Tesla conduz sozinho (sem qualquer intervenção humana) ao longo se estradas urbanas, autoestradas e ruas, depois encontra um lugar de estacionamento".

No site, transmite-se uma mensagem mais cautelosa, com indicação de que a tecnologia de piloto automático foi desenhada para ajudar na direção, travagem, velocidade e mudança de vias, mas "não torna o veículo autónomo".

A Tesla está a ser alvo de uma investigação criminal desde 2021 com base na alegação de que os carros da marca conseguem "conduzir sozinhos", depois de inúmeros acidentes, alguns com fatalidades.

No caso que motivou o testemunho em tribunal de Ashok Elluswamy, um acidente que provocou a morte ao engenheiro da Apple Walter Huang, em 2018, o comité nacional de segurança e transportes concluiu que foi provocado pela distração da pessoa ao volante e limitações do piloto automático, que foi incapaz de detetar que o condutor não estava a prestar atenção.

Oficialmente, a marca aconselha os condutores a manter as mãos no volante ao usar o piloto automático, mas há formas de "enganar o sistema", explicou Ashok Elluswamy em tribunal, defendendo que a tecnologia é segura, desde que o carro não esteja, efetivamente, a conduzir sozinho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de