Pablo Escobar Fold 1: quando a cocaína faz telemóveis, dá nisto

Ainda estão longe de se tornarem populares, mas já há um smartphone com ecrã flexível a preços difíceis de acreditar. O anúncio também é algo inacreditável para 2019. Mas estamos a falar de um Escobar, não é?

Custa cerca de 350 euros, mas no grande esquema das coisas, nem é por aí o enorme espanto. Esse fica por conta da marca que o está a lançar.

O equipamento chama-se Pablo Escobar Fold 1 e sim, está ligado ao Cartel de Medellin, na Colombia. A marca que o lança pertence à Escobar Inc, a empresa que o barão da droga nos anos 80 criou para lavar o dinheiro do narcotráfico e que ainda pertence à família.

O que acontece é que o Pablo Escobar Fold 1 é, na prática, um Royole Flexpai com alterações estéticas. De recordar que o Flexpai foi um pioneiro. Tratou-se do primeiro smartphone com ecrã dobrável do mundo.

Um equipamento que agora recebe o tratamento colombiano: é todo dourado.

Poder-se-ia pensar que mais ostentatório é impossível, mas não. Os anúncios que a Escobar Inc, pôs na net são ainda piores. Basta dizer que num dos vídeos, naquele em que se ensina como usar o equipamento, a modelo que o mostra está nua.

De resto, e em termos de especificações, o Fold 1 não vai mal. Tem um chipset Qualcomm Snapdragon 855, e é vendido em duas versões: ou com 6GB de RAM e 128 de armazenamento, ou então, 8GB de memória RAM mais 256GB para guardar dados.

O ecrã é AMOLED de 7.8" quando está completamente aberto.

O preço é incrível, mas quem sabe se a família não escolheu ser "lowcost" porque quer reavivar uma antiga tradição dos Escobar: ajudar os pobres.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados