Prédio na China "caminhou" 62 metros graças a tecnologia inovadora

Para evitar a demolição de um edifício histórico, uma equipa de engenheiros chineses usou "pernas robóticas" para o transportar.

Um edifício com cinco andares e 7.600 toneladas foi inteiramente erguido dos chão e movido para um novo local graças a uma nova tecnologia conhecida como "máquina caminhante". Aconteceu em outubro em Xangai, na China.

Para preservar o prédio com 85 anos, uma antiga escola primária, os engenheiros usaram quase 200 suportes móveis que funcionam como "pernas robóticas", explicou à CNN Lan Wuji, principal supervisor do projeto e dono da Shanghai Evolution Shift, empresa responsável pela tecnologia.

Há dois grupos de suportes distintos, um que sobe e outro que desce, como duas pernas que se movem alternadamente. "É como dar ao edifício muletas para que ele se possa erguer e caminhar", compara Lan Wuji.

Ao longo de 18 dias o edifício rodou 21 graus e "caminhou" lentamente até à sua nova localização na cidade, a 62 metros de onde foi originalmente construído.

Esta foi a primeira vez que a "máquina caminhante" foi usada desde que a tecnologia foi desenvolvida pela Shanghai Evolution Shift, em 2018, a pensar na preservação de edifícios históricos.

A China já usa vários métodos para deslocar edifícios, com recurso a carris ou puxados por veículos, mas sem esta tecnologia não seria possível rodar e mover o prédio em causa, com uma forma pouco usual (em forma de T). Tudo correu como previsto.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de