Psyche 16, o asteroide rico em metais preciosos que tornaria a população da Terra bilionária

A NASA vai lançar, no verão de 2022, uma missão para estudar o asteroide que tem chegada prevista à superfície do Psyche para 2026.

O asteroide Psyche 16 está repleto de metais preciosos e pode valer mais de dez mil quatriliões de dólares (aproximadamente 8527 quatriliões de euros), segundo novas medições de temperatura da superfície, avança o Daily Mail. No verão de 2022, a NASA vai lançar uma missão para estudar este asteroide com o objetivo de determinar as suas origens. A missão deverá chegar à superfície do Psyche em 2026.

Para ajudar na missão da NASA, uma equipa da Caltech, em Pasadena, na Califórnia, criou um novo mapa de temperatura para fornecer dados sobre as propriedades da superfície do asteroide. Normalmente, as imagens infravermelhas de uma rocha espacial como esta fornecem apenas um píxel de dados, mas utilizando o Atacama Large Millimeter Array, investigadores chilenos foram capazes de obter uma resolução de 50 píxeis, determinando que a superfície do asteroide é composta por, pelo menos, 30% de metal e as rochas que o constituem são salpicadas de grãos de metal.

"As descobertas são um passo para resolver o mistério da origem deste objeto incomum, que foi considerado por alguns como um pedaço do núcleo de um protoplaneta", referem os autores do estudo, citados pelo Daily Mail.

Psyche 16 é uma rocha espacial de 124 milhas de largura (cerca de 200 quilómetros) que orbita o sol na cintura de asteroides, uma região entre Marte e Júpiter que contem mais de um milhão de rochas. Foi originalmente descoberto em 1852 e acredita-se que seja composto pelos restos de um protoplaneta destruído quando o sistema solar ainda se estava a formar.

"O início do sistema solar era um lugar violento, dado que os corpos planetários se aglomeravam e colidiam uns com os outros enquanto se acomodavam em órbitas ao redor do sol", disse ao Daily Mail, Katherine de Kleer, professora assistente de ciência planetária e astronomia.

Ao contrário de outros corpos rochosos ou gelados, julga-se que o asteroide é feito, principalmente, de ferro e níquel, e pode valer quatriliões de dólares em valor potencial de mineração.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de