Quanta matéria existe no universo? Astrofísicos fizeram a medição mais precisa de sempre

A grande maioria da matéria existente no espaço é matéria negra.

Uma equipa de astrofísicos conseguiu calcular com a maior precisão de sempre o total de matéria existente no universo, um dos maiores mistérios do cosmos.

A resposta, publicada na revista científica The Astrophysical Journal esta segunda-feira, é 31.5% - com uma margem de erro de 1.3% - do total de tudo o que existe no Espaço.

Os restantes 68,5% corresponde à chamada energia negra, a misteriosa força que se acredita provocar expansão do Universo, identificada pela primeira vez durante a observação de supernovas a milhões de anos luz da terra, em 1990.

Comparativamente, o total de matéria no universo observável é equivalente a 66 mil milhões a massa do Sol, explicou à AFP o astrofísico e principal autor deste estudo, Mohamed Abdullah.

A grande maioria desta matéria - 80% - é matéria negra. A sua natureza permanece uma incógnita, mas acredita-se que seja composta por uma partícula subatómica ainda não descoberta.

Estas medições batem certo com os valores calculados outras equipas que usaram diferentes técnicas cosmológicas, como a medição das flutuações de temperatura na radiação de baixa energia que restou após o Big Bang.

"Tem sido um longo processo, ao longo de 100 anos, mas estamos gradualmente a ser mais cada vez mais precisos", destacou a coautora do estudo, Gillian Wilson. Afinal de contas, lembra, somos capazes de "fazer uma descoberta tão fundamental sobre o Universo sem sair do planeta terra".

Como se pesa o universo? A equipa de Mohamed Abdullah, financiada pela NASA, aperfeiçoou uma técnica de 90 anos que consiste em observar como é que as galáxias orbitam dentro de aglomerados - sistemas massivos que contêm milhares de galáxias. Estas observações permitem medir quão forte é a atração gravitacional, a partir da qual sua massa total é calculada.

Esta técnica foi desenvolvida originalmente pelo astrónomo Fritz Zwicky, a primeira pessoa a suspeitar da existência de matéria negra em aglomerados de galáxias, na década de 1930.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de