"Quer mesmo fazer esse comentário?" Instagram tem nova forma de combater o bullying

Rede social quer que os utilizadores tenham o poder de moderar as suas caixas de comentários, dando-lhes também a possibilidade de "restringir" utilizadores com comportamentos abusivos.

As comunidades online podem ser lugares duros, principalmente no que diz respeito às caixas de comentários. A pensar nisso, o Instagram começa a implementar, a partir desta terça-feira, uma nova forma de tentar controlar e reduzir o número de comentários maliciosos e depreciativos publicados na rede.

O mecanismo é simples e tem duas dimensões: a do agressor a do visado. A primeira linha de defesa do Instagram é ativada quando o agressor tentar publicar um comentário depreciativo.

O Instagram vai utilizar a Inteligência Artificial para analisar o conteúdo do comentário depois da sua publicação e, se o identificar como depreciativo ou rude, vai perguntar ao utilizador: "Quer mesmo comentar isso?", oferecendo a possibilidade de 'anular' o comentário em questão.

A segunda linha de defesa pertence ao utilizador afetado. A 'vítima' pode começar por "restringir" a capacidade do 'infrator' em comentar os conteúdos da sua autoria: esta opção faz com que os comentários feitos pelo 'infrator' sejam visíveis apenas para o próprio.

Qualquer outro utilizador não terá sequer conhecimento de que o comentário abusivo foi feito, a não ser que o utilizador atacado assim o permita. Assim, o utilizador é também o moderador da sua caixa de comentários.

Além disto, se o utilizador restringido enviar uma mensagem ao utilizador que tentou atacar, fica impedido de saber se a mensagem for lida, além de não conseguir ver se a sua 'vítima' está online. Com isto, o Instagram espera reduzir o medo que o utilizador atacado possa sentir em denunciar o infrator, diminuindo as linhas de contacto direto entre ambos, bem como o seu impacto.

"É nossa responsabilidade criar um ambiente seguro no Instagram. Esta tem sido uma prioridade importante para nós já há algum tempo e continuamos a tentar compreender e combater melhor este problema", escreveu no blog do Instagram o coordenador da rede social, Adam Mosseri.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados