Romeu e Julieta tratam-me da casa e é tão bom!

É facílimo criar uma relação especial com os equipamentos que a iRobot produz a pensar nas nossas habitações. Há aspiradores, mas também robôs-esfregona capazes de lavar o chão de toda a casa. Romeu e Julieta são as alcunhas que estes receberam.

O Romeu já é um velho conhecido. O Roomba i7+, com sistema de auto esvaziamento do lixo que apanha, foi o primeiro dos robôs com tecnologia de mapeamento que a iRobot introduziu no mercado português. Um robô-aspirador que nunca se perde e que só descansa depois de ter passado pela casa inteira. Ou então só por alguns quartos, já que a espécie de GPS interno que inclui permite aos seus donos escolherem onde e quando é que ele aspira.

A novidade em Portugal é então o Braava Jet m6, por aqui mais conhecido como Julieta. Tal como o companheiro, recorre a uma câmara para saber fazer o mapa da casa e saber por onde anda, mas em vez de aspirar, espalha água pelo chão e deixa tudo com cheirinho a lavado.

É um mimo.

De origem, na caixa, vem com 4 tipos de panos diferentes, dois para lavagem com água e outros dois para limpeza a seco. E há de dois tipos: ou reutilizáveis, ou de uma só utilização. A bem do ambiente a aposta deve ser feita nos que podem ser usados mais do que uma vez, mas estes têm o inconveniente de terem de ser lavados depois de utilizados. É uma maçada, sim, mas em termos financeiros - e ambientais - é muito mais recompensadora.

Também na caixa está o detergente que a iRobot vende para estes robôs. Na impede, no entanto, que se usem outras marcas, talvez mais baratas, e que se junte esse detergente alternativo à água que o dispositivo usa para lavar o chão. Quanto à secagem, nem vale a pena perguntar. Ele só lava. A secagem de ser pelo método tradicional: esperar.

Quanto aos tapetes e outros obstáculos não há razão para temer. O Braava Jet m6 não gosta de trepar nada. Não o vi a subir a nennhum tapete. Sempre que encontrou um pelo caminho tentou perceber se estaria perante um, e quando sempre que se confirmou, tratou de o contornar. Se lhe atirar água para cima, evidentemente. Relativamente aos móveis, numa primeira fase ainda sem o mapa estar completo, ele bate neles, para conhecer os seus limites, mas assim que começa a perceber os contornos da casa (ou seja, à segunda ou terceira lavagem) então vai ter muito mais cuidado nessas abordagens. É como se passasse a ter olhos.

Em resumo, o Braava Jet m6, funciona bem, lava com cuidado, vem com tecnologia que lhe permite passar por toda a casa evitando fazer asneiras nos tapetes e, quando se chega do trabalho, nada bate o cheiro da casa perfumada. O senão, talvez seja o preço. E digo talvez porque quem se propõe a comprar um robô esfregona, já sabe que a coisa não vai ser barata.

Assim, esta maravilha custa 700 euros.

Ainda está a ler? O valor não

Então é porque lhe posso contar o resto. É a iRobot desenvolveu uma tecnologia que põe os seus robôs mais avançados a comunicar. É o caso da Julieta (o Braava Jet m6), mas também dos aspirador i7 (o Romeu) e ainda o S9 (que ainda não me tive o prazer de conhecer, mas que já se vende numa ou duas lojas em Portugal).

Assim, quem tiver dois destes robôs, pode explorar as suas particularidades. Basta mandar o aspirador fazer a sua magia e, na app para smartphones, dizer-lhe que no fim da aspiração ele deve avisar o Braava Jet m6 de que já pode ir lavar o chão. E ele vai.

É zen.

A eventual dificuldade será mesmo o custo de tudo isto, mas se ainda está a ler estas linhas, até pode ser que não. É por isso que deixo aqui os valores estimados de cada uma destas maravilhas da técnica:

- iRobot Braava Jet m6 - 700 euros
- iRobot Roomba i7 - 900 euros
- iRobot Roomba s9 - 1500 euros

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados