Telescópio espacial Webb. O "origami" gigante que vai mostrar as primeiras estrelas do universo

Pesa mais de seis toneladas, tem seis metros e meio de diâmetro, a proteção contra o sol é do tamanho de um campo de ténis. A TSF conversou com a astrónoma portuguesa Catarina Alves Oliveira, responsável por um dos quatro instrumentos do Webb.

Está previsto para sábado, dia de Natal, o lançamento do novo telescópio espacial da NASA. Tem o nome de James Webb, um dos pioneiros da exploração espacial. A médio prazo, o Webb vai substituir o Hubble, lançado há mais de 30 anos, mas que ainda vai continuar ao serviço.

O projeto do novo telescópio da NASA tem cerca de 20 anos e envolve cientistas de vários países. Entre eles, está a astrónoma portuguesa Catarina Alves Oliveira, que trabalha na Agência Espacial Europeia (ESA), em Madrid.

A investigadora fala de uma verdadeira "máquina do tempo", que há de levar o homem a saber muito mais sobre as origens do universo, em concreto, as primeiras estrelas, as primeiras "fontes de luz" do universo.

Para caber dentro do foguetão Ariane 5, no dia do lançamento, o Webb vai transformar-se numa espécie de "origami" de grandes dimensões. A viagem até ao destino é longa. O telescópio vai ficar a mais de um milhão e meio de quilómetros da Terra, onde as temperaturas podem ultrapassar os 200 graus negativos.

Por isso, vai demorar cerca de um mês a desdobrar-se totalmente e os investigadores só esperam receber os primeiros dados científicos daqui por 6 meses.

A médio prazo, o Webb vai substituir o Hubble, lançado há mais de 30 anos, mas que ainda vai continuar ao serviço. Agora, vão trabalhar em conjunto:
um vê "ao longe"; ou outro, "ao perto".

Catarina Alves Oliveira tem pouco mais idade do que o Hubble e conta que lhe deve boa parte da carreira. À TSF, recorda que as primeiras imagens que viu, quando estudava, eram do Hubble. E foram elas que lhe aguçaram o interesse pela astronomia.

Hoje, a investigadora portuguesa é responsável por um dos quatro instrumentos do novo telescópio da NASA, o espectrógrafo. Trata-se de um aparelho que mede a luz. Com ele, os cientistas dividem a luz recebida em partes mais pequenas, de forma a estudarem em detalhe, por exemplo, estrelas e planetas.

Se o tempo ajudar, o lançamento do Webb acontecerá no sábado, 25 de dezembro, em Kourou, na Guiana Francesa, às 7h20, hora local (12h20 GMT e hora de Lisboa) e pode ser acompanhado aqui.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de