Universidades europeias criam doutoramento em Meteorologia Espacial

A nova área de investigação vai estudar o impacto que a atividade solar pode ter em redes elétricas, na aviação ou nos sinais de GPS. Em Portugal, a investigação é liderada pela Universidade de Coimbra.

A tecnologia que usamos está cada vez mais dependente de satélites. Como estão no espaço, ficam mais expostos à atividade solar. Teresa Barata, do Centro de Investigação da Terra e do Espaço da Universidade de Coimbra, explica que o impacto do sol pode sentir-se em várias atividades do dia-a-dia.

"Por exemplo, os sistemas GPS que temos recebem sinais de satélite. Se houver um impacto da atividade solar nos satélites, os nossos sinais podem chegar danificados", explica. Outro exemplo é no setor petrolífero, que recorre também a GPS "para que a perfuração seja numa zona exata. E qualquer erro no posicionamento do furo representa um custo muito elevado".

Para evitar erros, a investigadora conta que o doutoramento em Meteorologia Espacial vai tentar antecipar o comportamento do sol. Quando há uma "uma explosão solar, tudo o que vem é muito rápido, logo não conseguimos prever esses fenómenos", conta Teresa Barata. No entanto, "esses fenómenos são indicadores de que poderá haver outros que estão associados, mais tardios, cujo efeito demora a chegar à Terra e que podem ter um impacto de dois, três ou quatro dias".

Nestes casos, os investigadores conseguem monitorizar e antecipar o impacto e alertar as empresas para que "protejam os sistemas".

A pesquisa sobre o tempo no espaço é também importante para o setor da aviação, que usa cada vez mais satélites para navegar.

Cada universidade vai abordar a área em que é especialista. Em Coimbra, a base vai ser Física Solar, com análise de imagens do sol para prever qual o seu comportamento.

O consórcio de universidades recebeu três milhões de euros do programa Horizonte 2020 da União Europeia. Além da Universidade de Coimbra, fazem parte do consórcio universidades da Finlândia, Hungria, Bélgica, Itália, Polónia e Grécia.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de