À procura de um acordo em Paris

Até 11 de dezembro, 150 chefes de Estado e de Governo de todo o mundo juntam-se em Paris naquela que é considerada "a derradeira cimeira" sobre alterações climáticas.

São muitas as expectativas para a 21.ª Cimeira das Nações Unidas sobre alterações climáticas. O encontro, que tem abertura oficial esta segunda-feira, mas que começou domingo as discussões técnicas, conta com 196 países representados e quer definir novas metas de emissões poluentes e mais medidas contra o aquecimento global, numa atualização do Protocolo de Quioto, assinado em 1997.

O grande objetivo é chegar a um acordo internacional que mantenha a subida da temperatura global do planeta abaixo dos 2ºC até 2100, numa altura em que é cada vez mais consensual que, se nada for feito, deve subir 5ºC.

Na Cimeira vão estar presentes 150 chefes de Estado e de Governo, entre eles os presidentes dos Estados Unidos, China, Índia e Rússia, países com maior emissão de gases a nível mundial. Em representação de Portugal vai estar António Costa.

Esta segunda-feira de madrugada, Barack Obama chegou a Paris e foi direto ao Bataclan prestar homenagem às vitimas dos ataques de sexta-feira, 13 de novembro. Uma homenagem ao lado de François Hollande.

Domingo, primeiro dia do encontro na capital francesa, véspera da abertura oficial, foi marcado por eventos pacíficos, mas também por protestos com alguns incidentes, apesar da proibição de manifestações públicas por causa do estado de emergência declarado depois dos ataques de 13 de novembro.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados