Ban Ki-moon diz que golpistas estão a «agravar crise política»

O secretário-geral das Nações Unidas afirmou estar «gravemente preocupado» por os líderes do golpe de Estado na Guiné-Bissau estarem a «agravar a crise política».

Em declaração divulgada pelo seu gabinete, Ban Ki-moon reitera ainda o apelo, também já feito pelo Conselho de Segurança da ONU e pelo Departamento de Estado norte-americano, para a «libertação imediata» dos líderes políticos detidos no golpe da passada quinta feira.

Ban Ki-moon afirma estar «gravemente preocupado por, apesar dos apelos da comunidade internacional para o regresso da ordem constitucional à Guiné-Bissau, os líderes do golpe de Estado de 12 de abril estarem a aprofundar a crise política».

Este agravamento da crise resulta, adianta, do anúncio de planos para criação de um Governo de unidade nacional.

«Isto é particularmente perturbador, vindo numa altura em que o povo da Guiné-Bissau deveria estar a preparar-se para eleger um novo presidente, através de eleições democráticas multipartidárias», sublinhou.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de