Centrais sindicais pedem aos guineenses para se manterem em casa

A União Nacional dos Trabalhadores e a Confederação Geral dos Sindicatos Independentes da Guiné pediram aos trabalhadores para se manterem em casa «até à restituição da normalidade constitucional».

Em comunicado, as duas centrais sindicais condenaram a alteração da ordem constitucional e democrática e pediram a «toda a classe trabalhadora» que observe apenas o respeito aos serviços mínimos obrigatórios nos setores essenciais, saúde, portos e aeroportos.

A União Nacional dos Trabalhadores e a Confederação Geral dos Sindicatos Independentes acrescentam que a paralisação prosseguirá «se não houver a reposição da ordem constitucional democrática».

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de