Guiné-Bissau: Embaixador diz que Carlos Gomes Júnior está bem e continua no país

Em declarações à TSF, o embaixador da Guiné-Bissau em Portugal assegurou, sem avançar pormenores, que o primeiro-ministro guineense está bem e continua no país.

As informações que chegam são contraditórias. A mulher do primeiro-ministro da Guiné Bissau, Salomé Gomes, afirma que Carlos Gomes Júnior foi detido, quinta-feira à noite, por militares, que o levaram numa carrinha para um lugar desconhecido, após terem atacado a sua casa.

A RTP avança com a informação de que o primeiro-ministro está detido pelos militares no quartel de S. Vicente. No entanto, o embaixador da Guiné-Bissau em Portugal, Fali Embalo, garantiu à TSF que Carlos Gomes Júnior está bem e continua no país.

Entretanto, o exército já reivindicou a intervenção armada de ontem à noite. Através do auto intitulado Comando Militar, as Forças Armadas dizem que não querem o poder e alegam que foram forçados a agir para defender a instituição contra uma alegada agressão de militares angolanos em Bissau.

O jornalista guineense Lamini Marna falou à TSF do comunicado - do qual teve acesso -, que não está assinado.

Desde ontem à noite que os militares continuam nas ruas do centro de Bissau. A residência do primeiro-ministro continua cercada.

O embaixador da Guiné-Bissau em Portugal revelou que, lentamente, as pessoas estão a sair, mas ainda há muito medo e hoje poucos serviços abriram portas.

Fali Embalo disse ainda que, até ao momento, nenhum cidadão estrangeiro pediu para sair da Guiné Bissau. Em relação aos portugueses a informação é de que todos estão bem.

Continuar a ler