Militares guineenses dizem que fronteiras já foram reabertas

Segundo o jornalista Lamine Marna, os militares revoltosos confirmaram ainda que o espaço aéreo e marítimo da Guiné-Bissau também já se encontram abertos.

Os militares revoltosos na Guiné-Bissau garantiram aos enviados da Comuinidade de Estados da África Ocidental (CEDEAO) que já foram reabertas as fronteiras do país.

Em declarações à TSF, o jornalista Lamine Marna confirmou que o «porta-voz do comando militar disse que não há necessidade de encerrar as fronteiras, porque não há guerra na Guiné-Bissau».

Este jornalista da Rádio Jovem confirmou ainda que o espaço aéreo e marítimo, que estiveram fechados durante os últimos dias, também já foram abertos, segundo uma garantia dada também pelo porta-voz do comando miltar guineense.

Segundo Lamine Marna, os autores do golpe de Estado na Guiné-Bissau explicaram também que «tudo está a correr na normalidade» e asseguraram que o primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior já recebeu «várias visitas».

Estes militares garantiram que o primeiro-ministro, que se encontra detido desde o golpe, já recebeu as visitas da Cruz Vermelha, e que tudo vai decorrer com normalidade para que quer Carlos Gomes Júnior seja libertado.

«Não deram a garantia, mas estão a seguir as tramitações legais para que isso possa acontecer», concluiu este jornalista guineense.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de