UE condena golpe militar e adverte que «não apoiará governo ilegítimo»

A Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros, Catherine Ashton, condenou hoje veementemente o golpe militar na Guiné-Bissau e advertiu que a Europa «não apoiará um governo ilegítimo».

Numa declaração divulgada hoje em Bruxelas por um porta-voz de Ashton, este lembra que na quinta-feira, ainda antes do golpe militar, a chefe de diplomacia europeia já havia apelado a todas as partes a respeitarem o governo legítimo, pelo que «lamenta profundamente que agora tenha de condenar firmemente o golpe de Estado militar em Bissau e apela ao restabelecimento imediato do governo legítimo e à conclusão do processo eleitoral».

Continuar a ler