Autoridade egípcia culpa "Tom e Jerry" pela violência no Médio Oriente

A afirmação foi feita pelo responsável máximo dos Serviços de Informação do governo egípcio, durante uma conferência sobre os media e a cultura da violência.

Pode parecer brincadeira mas não é. Um alto funcionário dos Serviços de Informação do governo egípcio declarou, alto e bom som, que os famosos desenhos animados "Tom e Jerry" são uma das causas para a violência e extremismo que assola o Médio Oriente.

A afirmação do embaixador Salah Abdel Sadek, diretor do SIS (State Information Service), foi feita durante uma conferência na Universidade do Cairo que tinha como tema "Os Media e a Cultura da Violência". Para o dignitário, as famosas lutas entre o gato Tom e o rato Jerry transmitem ao espetador a ideia de que a violência é algo natural.

"[Tom and Jerry] retratam a violência como algo divertido e fazem passar a mensagem de que é normal bater em alguém e mesmo fazê-lo explodir. Na mente do espetador essa violência torna-se natural", defendeu o embaixador, segundo o site egyptianstreets.com.

E para os que acharam que estava a brincar com a temática, o embaixador acrescentou mais dois culpados: os videojogos e os filmes violentos.

"Tornou-se normal para um jovem passar longas horas a jogar videojogos, a matar e a espalhar sangue por todo lado, e ficar contente com isso", adiantou Abdel Sadek, acrescentando que os jovens são confrontados com pressões sociais que "os levam a recorrer à violência que eles consideram normal e aceitável".

Segundo o Washington Post, a ideia de um alto responsável culpar desenhos animados e videojogos pela violência na região foi considerada ridícula por muitos. Mas há, também, quem tenha levado estas afirmações muito a sério, tendo em conta a publicação de um artigo no site do jornal Youm7, sob o tema "Cinco acusações que Tom e Jerry enfrentam no Egito". O artigo foi divulgado pouco tempo depois da intervenção do diretor do SIS.

O artigo foi publicado pouco tempo depois da intervenção do diretor do SIS. Entre outras coisas, o autor defende que "Tom e Jerry" "pervertem ideia de justiça, ajudam as crianças a engendrar planos sinistros e encorajam a violência e a utilização de instrumentos afiados como facas, armas e moto-serras".

O Egito, recorde-se, é conhecido por ter uma das forças de segurança mais repressivas do Médio Oriente e tem uma longa história de censurar filmes, em boa parte devido a conteúdo sexual mais explicito.

Apesar das declarações do diretor do SIS, adianta o site egyptianstreets.com, não parece haver indícios, para já, de que o governo egípcio se prepare para censurar a famosa dupla dos desenhos animados.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de