EgyptAir: o que já sabemos

Depois de dar como certo que tinham encontrado destroços pertencentes ao avião, a EgyptAir voltou atrás. O tempo passa, mas ainda pouco se sabe. O que há de concreto afinal?

As certezas que as autoridades:

- Há destroços que foram encontrados a boiar. A EgyptAir sublinhava que estes destroços foram encontrados na zona onde se perdeu o contacto radar com a aeronave, perto da ilha grega de Karpathos. Mais tarde disse que pertenciam de facto ao avião. Duas horas depois voltou atrás. As operações de busca ainda não encontraram qualquer vestígio do avião desaparecido.

- Nas operações de busca estão envolvidos meios operacionais egípcios, gregos, franceses e norte-americanos.

- Ainda não há pistas sobre o que terá acontecido. Foram encontrados destroços, mas as autoridades garantem que ainda não sabem se a queda se deveu a um ato terrorista ou a outra coisa. Segundo a Casa Branca "é muito cedo" para dizer, em definitivo, o que pode ter causado a queda do avião. Os Estados Unidos sublinham, no entanto, que estão "conscientes de que os grupos extremistas querem atacar o sistema de aviação" e com esse objetivo, estão em constante adaptação de táticas.

- Esta noite vão chegar ao Cairo três especialistas franceses de investigação de acidentes. Com eles viaja um especialista da Airbus, a marca fabricante da aeronave.

- No avião da Egyptair estavam 66 pessoas. Dez tripulantes e 56 passageiros.

- Um dos passageiros era português. Um homem de 62 anos que trabalhava na Mota Engil e vivia entre Joanesburgo e Lisboa (informação do Secretário de Estado das Comunidades)

- O comandante do avião tinha 6,275 horas de voo. Cerca de um terço desse tempo foi passado aos comandos de um Airbus A320. O copiloto contabilizava 2,766 horas de voo.

- A aeronave, um Airbus 320, desapareceu dos radares à 01:30 (hora portuguesa) desta quinta-feira.

- O voo MS804 da EgyptAir, fazia a ligação entre Paris e o Cairo.

Ao final da manhã, o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas confirmou à TSF a morte do passageiro português que seguia a bordo do voo MS804 da EgyptAir.

José Luís Carneiro adiantava que o cidadão tinha 62 anos e que o Governo já apresentou as condolências à família e disponibilizou todos os meios necessários para as operações de resgate.

José Luís Carneiro em declarações à TSF

00:0000:00

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados