Bolsonaro é "figura estranha a qualquer noção de bem comum"

Qual a figura e o acontecimento do ano 2018? A opinião de Pedro Aires Oliveira, da Universidade Nova de Lisboa.

A minha personalidade do ano é o Presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, que talvez tenha conseguido superar tudo o que tínhamos presenciado nos últimos anos no tocante a poses e afirmações políticas escandalosas! As causas profundas da sua vitória demorarão ainda algum tempo a ser esclarecidas, mas ela é mais uma lição amarga para as forças progressistas pelo mundo fora. A esquerda precisa de reencontrar a sua vocação universalista, republicana e "popular", e evitar que uma parte tão significativa dos eleitorados continue a atribuir credibilidade a figuras tão obviamente estranhas a quaisquer noções de bem comum como são Bolsonaro e outras personagens da movida populista.

O meu acontecimento do ano é o assassinato de Jamal Khashoggi. O que é mais chocante neste crime - as circunstâncias bárbaras em que foi perpetrado ou a hipocrisia dos países que dizem reger-se pelos princípios do Estado de direito, mas recusam renunciar aos negócios com os sauditas? A desfaçatez com que muitos governantes ocidentais procuraram relativizar o assassinato é um sintoma arrepiante da amoralidade (e impunidade) que tomou conta da política internacional.

Académicos da área das relações internacionais, eurodeputados, jornalistas experientes em matéria de política internacional, correspondentes no estrangeiro e diretores de órgãos de comunicação social votaram na figura e acontecimento do ano.

Leia ainda as escolhas e opiniões dos membros do Painel TSF .

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados