Portugueses não devem deixar para a última hora o pedido de documentação

O apelo foi feito pelo secretário de Estado das Comunidades. A seis meses do Brexit, o Governo diz que os portugueses no Reino Unido estão mais tranquilos. A TSF falou com alguns destes portugueses.

O Governo acredita que os portugueses estão mais tranquilos e informados e não tem planos para reforçar os consulados no Reino Unido para lidar com um aumento da procura devido ao 'Brexit', disse o secretário de Estado das Comunidades.

"Os dados dos serviços consulares mostram que nos últimos dois, três meses tem havido uma diminuição da procura de informação e esclarecimento nos postos consulares, o que significa que há consolidação de uma relativa tranquilidade dos portugueses que se encontram aqui", afirmou José Luís Carneiro à agência Lusa em Londres, onde participou na sexta-feira numa sessão de informação sobre a alteração das leis eleitorais.

Por isso, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas considera que "o reforço dos meios humanos e consulares que foi feito desde 2016 até hoje é suficiente para corresponder a essa procura".

Contudo, José Luís Carneiro apelou aos portugueses para que não deixem para a última hora a obtenção dos documentos comprovativos da sua residência no Reino Unido.

"Compete aos cidadãos ter os documentos relativos à sua identidade, à sua residência, à sua relação com a segurança social ou com as autoridades fiscais devidamente atualizados", frisou.

O governante considera que as ações de esclarecimento e de informação realizadas ao longo destes últimos meses pelos consulados, autoridades britânicas e Comissão Europeia têm surtido efeito na divulgação das garantias de manutenção dos direitos fundamentais dos portugueses e dos europeus no Reino Unido, da portabilidade de todos os direitos sociais e da possibilidade de reagrupamento familiar.

O correspondente da TSF em Londres, Emanuel Nunes, foi ver como se estão a preparar alguns dos portugueses que vivem em Inglaterra. Para muitos, o regresso a Portugual é uma das opções que estão em cima da mesa.

Faltam seis meses para a saída oficial do Reino Unido da União Europeia, em 29 de março de 2019, data em que termina formalmente a liberdade de circulação e trabalho dos cidadãos europeus no território britânico.

Um acordo de princípio divulgado em dezembro passado, e que ainda depende do desfecho das negociações entre Londres e Bruxelas sobre a futura relação, determinou um período de transição até ao final de 2020 que, na prática, mantém as regras que vigoram atualmente.

Saiba mais: Já percebeu o que se passa com o Brexit? Nós explicamos

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de