Cardeal de São Paulo critica nomeação de Lula

O Arcebispo de São Paulo, o Cardeal, D. Odilo Scherer, publicou um vídeo no YouTube onde comenta a situação politica e social do Brasil.

No maior país católico do mundo a influente voz da igreja comenta a atual situação de tensão política.

Odilo Scherer, que lidera a arquidiocese de São Paulo, gravou uma declaração onde diz que a nomeação do antigo presidente Lula para ministro da Casa Civil de Dilma "não foi a melhor coisa a se fazer neste momento da história e do governo que nós estamos vivendo".

Por outro lado o arcebispo apela a que "se mantenha a paz social" neste momento político brasileiro "bastante complicado" fruto do "acirramento das posições políticas e das investigações sobre fatos de corrupção e de desvios nas administração pública".

Destituição de Dilma

Esta declaração surge no mesmo dia em que a comissão especial que vai analisar o processo de destituição da Presidente Dilma Rousseff elegeu os deputados responsáveis pelo andamento dos trabalhos.

A comissão especial de destituição vai funcionar em 15 sessões onde a maioria serve para a apresentação da defesa da Presidente. Nas últimas cinco reuniões acontece a votação do relatório dos deputados.

Este pedido de perda do mandato presidencial baseia-se na acusação de que a chefe de Estado cometeu atos ilegais, que ficam conhecidos na imprensa brasileira como "pedalada fiscal". Ou seja, Dilma é acusada de autorizar adiantamentos de dinheiro para os cofres do governo, adiantamentos realizados pela Caixa Económica Federal e pelo Banco do Brasil e que teriam sido solicitados para manipular as contas públicas durante o primeiro mandato da presidente.

Esta comissão vai ter como pano de fundo a situação politica e social decorrente do inquérito "Lava Jato" a Lula da Silva, que ontem tomou posse como ministro da casa civil de Dilma e por isso só um tribunal superior federal o pode acusar.

Mas, esta nomeação está num emaranhado de providências cautelares e respetivos recursos o que faz com que Lula ainda não possa assumir a pasta de ministro.

Entretanto, o juiz federal de Curitiba divulgou novas gravações de escutas policias aos telefones do antigo Presidente Lula da Silva durante as investigações da Operação "Lava Jato".

Sérgio Moro mostrou uma conversa com um dos funcionários de Lula sobre uma quinta que o antigo chefe de estado usava no interior de São Paulo.

No meio deste caldeirão a sociedade brasileira está dividida com manifestações pró e contra o antigo presidente, o próprio Lula vai hoje desfilar nas ruas de São Paulo numa manifestação convocada pelas centrais sindicais ligadas ao Partido dos Trabalhadores. Os sindicalista dizem que vão para a rua "em defesa da democracia, dos presidentes Lula e Dilma, contra o golpe e por mudanças na economia".

Carta aberta

Por outro lado, o antigo presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou uma "carta aberta" em que diz confiar no Supremo Tribunal Federal e esperar justiça. Diz também que, "sob o manto de processos conhecidos primeiro pela imprensa e só depois pelos diretamente e legalmente interessados, "foram praticados atos injustificáveis de violência" contra ele e a família.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de