Cuba: a história de uma fotografia que fez História

O autor da imagem icónica que marcou a chegada de Obama a Havana não quis relevar a identidade na altura por receio de represálias.

O momento era histórico. A 20 de março de 2016, Barack Obama aterrava em Havana e tornava-se o primeiro Presidente norte-americano a visitar Cuba em 88 anos.

O mundo estava de olhos postos na ilha de Fidel. De entre as centenas de imagens que iam chegando, houve uma que se destacou. O Air Force One, avião presidencial norte-americano, prestes a aterrar no Aeroporto Internacional de Havana, sobrevoa Boyeros. Na imagem há ainda algumas casas, uma passagem ferroviária com um sinal de stop, um homem que olha para o céu ao lado de um carro azul dos anos 50 emblemático de Cuba, uma mulher de mão na anca, cabos elétricos que se cruzam no ar.

A fotografia da agência Reuters publicada em jornais de todo o mundo começou por aparecer associada ao nome genérico Stringer, utilizado por colaboradores que não querem ser identificados. Começou a correr mundo e a agência quis revelar o responsável. Foi então creditada a Alberto Reyes, mas o nome verdadeiro do fotógrafo só agora ficou conhecido. Yander Zamora Reyes, de 34 anos, foi o autor do clique que colocou esta imagem na História e que, por medo, não quis revelar a real identidade.

Yander é fotógrafo do jornal oficial do Partido Comunista Cubano. Naquele dia, trabalhava como freelancer para a agência Reuters, que o enviou para o aeroporto para captar o momento em que o avião de Obama quase a aterrar passasse junto a um cartaz onde se vê a cidade de Havana. Uma foto recorrente, que não entusiasmou o fotógrafo. Mas ao chegar ao local, as forças de segurança não o deixaram ficar porque estava muito perto de uma zona proibida.

Em entrevista ao La Vanguardia, Yander conta que teve de arranjar uma alternativa. Teve a ajuda do motorista que o transportava, um morador de Boyeros, que lhe indicou a rota que os aviões costumam fazer antes de aterrar. Andou duas horas até encontrar o local perfeito e demorou mais uma hora a testar a luz e a fazer provas. E depois o avião passou.

Yander não esperava que a imagem tivesse tanto sucesso. Na altura, teve receio em revelar a identidade, apesar de a lei não o proibir de trabalhar para um órgão de informação internacional. Agora pensou melhor e decidiu assumir o seu trabalho. "É uma grande oportunidade que não devo desperdiçar", diz o fotógrafo ao La Vanguardia, "gosto da foto e quero que toda a gente saiba que é minha".

A imagem que imortalizou o momento da chegada de Obama a Cuba foi tirada com uma Nikon D7000 comprada em segunda mão por um amigo em Nova Iorque e um zoom 18-70mm emprestado "que nem foca bem". A prova que os meios não são tudo.

Para já, na base de imagens da agência Reuters a fotografia continua creditada a Alberto Reyes.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados