De grande líder a tirano, o mundo reage à morte de Fidel

Um pouco por todo o mundo vão surgindo reações à morte do líder histórico de Cuba.

Martin Schulz, presidente do Parlamento Europeu
O presidente do Parlamento Europeu afirmou que a "União Europeia está com o povo cubano olhando para o futuro". Numa mensagem publicada na rede social Twitter, escrita em espanhol, Martin Schulz considerou que "Fidel Castro marcou Cuba, a América Latina e a política global. Encerra-se um capítulo da História. A UE está com o povo cubano olhando para o futuro".

Xi Jinping, presidente da China
O presidente chinês Xi Jinping declarou que Fidel Castro "viverá eternamente". Numa mensagem lida na televisão, Xi considerou que "o povo chinês perdeu um camarada bom e sincero". "O camarada Castro viverá eternamente", acrescentou.

Susana Malcorra, ministra Negócios Estrangeiros da Argentina
O Governo da Argentina considerou que a morte do histórico líder cubano "encerra um capítulo importante da história latino-americana". Através de uma mensagem colocada na rede social Twitter, a chanceler argentina, Susana Malcorra, transmitiu também as suas condolências à família do antigo líder cubano, "ao governo e ao povo de Cuba".

Mariano Rajoy, primeiro-ministro de Espanha
"Apresento as minhas condolências ao Governo e às autoridades cubanas pela morte do ex-presidente Fidel Castro, uma figura de importância histórica", escreveu o líder do executivo espanhol, Mariano Rajoy, na sua conta do Twitter.

François Hollande, presidente de França
François Hollande afirmou que Fidel Castro "encarnou a Revolução Cubana", nas suas "esperanças" e "desilusões". "Fidel Castro tinha encarnado a revolução cubana, nas esperanças que a mesma criou, seguida pelas desilusões que causou", disse Hollande, em comunicado. "Ator da Guerra Fria (...) ele sabia que representava para os cubanos o orgulho da rejeição do domínio estrangeiro", acrescentou.

Vladimir Putin, presidente da Rússia
Num telegrama de condolências, citado pela agência Reuters, o presidente russo fala de Fidel como um "exemplo para muitos países. "Fidel foi um verdadeiro amigo da Rússia", adianta o Kremlin citando a mensagem de Putin.

Mikhail Gorbachev, antyigo líder soviético
O antigo líder soviético, citado pela agência de notícias Interfax, disse que "Fidel levantou-se e fortaleceu o seu país durante o mais severo bloqueio norte-americano, quando houve uma pressão colossal sobre si e, ainda assim, levou o seu país para fora deste bloqueio, num caminho de desenvolvimento independente", disse Gorbachev, citado pela agência de notícias Interfax.

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela
No Twitter, o presidente da Venezuela escreveu que "cabe a todos os revolucionários do mundo seguirem o caminho" de Fidel. Maduro diz que falou com Raul Castro e que lhe transmitiu solidariedade e amor ao povo de Cuba, perante a partida do Comandante Fidel Castro.

Enrique Peña Nieto, presidente do México
O Presidente do México lamentou o desaparecimento do líder da revolução cubana descrevendo-o como uma "referência emblemática do século XX". "Fidel Castro foi um amigo do México, promotor de uma relação bilateral baseada no respeito, no diálogo e na solidariedade", escreveu Enrique Peña Nieto.

Rafael Correa, presidente do Equador
"Foi-se um grande. Morreu Fidel. Viva a Cuba! Viva à América Latina!", escreveu o Presidente do Equador, Rafael Correa, no Twitter.

Rashtrapati Bhavan, presidente da Índia
"Condolências de coração pelo triste desaparecimento do líder revolucionário de Cuba, ex-presidente de Cuba e amigo da Índia, Fidel Castro", disse o presidente da Índia, Rashtrapati Bhavan, numa mensagem também divulgada também através do Twitter.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de