EUA 2016

Trump sensível a pedido de Obama pondera não acabar com Obamacare

Foi uma das principais bandeiras de campanha do republicano que veio agora dizer que há duas medidas do programa com as quais concorda.

Donald Trump deu ao Wall Street Journal a primeira entrevista desde que foi eleito e disse estar a ponderar um pedido de Barack Obama para não acabar em definitivo com o Obamacare, a Lei de Proteção e Cuidado ao Paciente, a maior mudança no sistema de saúde norte-americano das últimas décadas.

Acabar com o Obamacare foi uma das principais bandeiras da campanha de Trump, que agora admite que poderá não ser bem assim. Trump explicou que Obama lhe pediu que ponderasse a revogação total do programa e o republicano estará mesmo a considerar apenas corrigi-lo.

O presidente eleito diz que há duas medidas com as quais concorda, como por exemplo a possibilidade de os filhos poderem beneficiar do seguro dos pais até aos 26 anos. No entanto, Trump diz que tem muitas outras possibilidades que passam, por exemplo, no mercado financeiro.

Protesto anti-Trump continuam

Em várias cidades norte-americanas têm-se repetido os protestos contra Trump, desde que o milionário foi eleito.

Nas últimas horas, em Portland, uma pessoa foi atingida a tiro.

Trump acusa os órgãos de comunicação social de estarem a organizar estas marchas, realizadas por "manifestantes profissionais", que são uma injustiça para quem venceu "de forma tão expressiva". Mais tarde, Trump disse adorar estes manifestantes que demonstram uma grande paixão pelo país.

  COMENTÁRIOS