Nova Iorque em defesa dos imigrantes ilegais

Presidente da Câmara de Nova Iorque falou com Trump e disse-lhe que vai "proteger" os imigrantes que o presidente eleito quer expulsar do país.

O presidente da câmara de Nova Iorque, o democrata Bill de Blasio, anunciou hoje que avisou o Presidente norte-americano eleito, Donald Trump, com quem se reuniu, de que se esforçará por proteger os imigrantes ilegais da deportação.

"Disse-lhe que muitos nova-iorquinos estão receosos do que este Governo trará e reiterei que esta cidade e tantas outras cidades de todo o país farão tudo o que puderem para proteger os seus habitantes e garantir que não haverá famílias separadas", disse De Blasio à imprensa, após o encontro com o recém-eleito multimilionário republicano na Trump Tower.

Donald Trump prometeu, durante a campanha presidencial, deportar ou meter na prisão cerca de três milhões de imigrantes ilegais com antecedentes criminais quando tomar posse, a 20 de janeiro de 2017.

De Blasio disse que essa intenção de Trump "se eclipsou perante tudo o que há de grandioso na cidade de Nova Iorque que é, por excelência, a cidade dos imigrantes, um local que vingou porque estava aberto a toda a gente, o local construído por geração após geração de imigrantes".

Após a vitória de Trump, nas eleições de 08 de novembro, De Blasio anunciou que a cidade iria apagar da sua base de dados informática, até ao final deste ano, os nomes de centenas de milhares de imigrantes ilegais que receberam um cartão de identificação da cidade, para que estes não sejam identificados e deportados pelo próximo Governo federal.

São conhecidas as relações crispadas entre o 'mayor' e Trump, que levaram o autarca a sublinhar ao novo Presidente: "Manterei um espírito de abertura enquanto continuarmos a discutir assuntos importantes, mas também vigilante".

O autarca nova-iorquino disse que Trump "adora a cidade" e instou-o a enviar um "sinal de unidade" a Nova Iorque, sua cidade natal, que votou esmagadoramente na candidata democrata, Hillary Clinton.

Como De Blasio, os 'mayors' de outras grandes metrópoles dos Estados Unidos com elevado número de imigrantes - como Los Angeles, San Francisco, Chicago, Boston, Filadélfia e Washington D.C. - comprometeram-se a protegê-los da deportação.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de