Cem imigrantes morrem a caminho de Lampedusa

Cerca de cem imigrantes que viajavam numa embarcação da Líbia morreram durante a travessia até à ilha italiana de Lampedusa. Os corpos foram deitados ao mar.

«Éramos 300, mas uma centena, sobretudo mulheres, não sobreviveram, e os homens foram obrigados a deitar os seus corpos ao mar», afirmou a mulher, que foi resgatada pela guarda costeira italiana, juntamente com os restantes passageiros da embarcação.

Os imigrantes estavam desidratados e três deles, incluindo uma mulher grávida, foram transportados de helicóptero desde o barco, com cerca de 20 metros, até terra firme.

Diversos «sem papéis» também confirmaram as declarações da sua companheira de viagem marroquina. Explicaram que saíram da Líbia na passada sexta-feira, que o barco navegou à deriva após uma avaria no motor, e que após as primeiras mortes os cadáveres foram lançados ao mar.

A embarcação foi avistada pela guarda costeira italiana a 90 milhas de Lampedusa, e inicialmente socorrida por um helicóptero com produtos de primeira necessidade.

O comandante da capitania do porto de Lampedusa disse que foi encontrado um morto no interior do barco, mas assegurou que não foram avistados cadáveres na zona em que o barco foi rebocado, sublinhando que «não é possível confirmar» o testemunho dos imigrantes.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de