Ucrânia

Gerhard Schroder considera UE principal responsável pela crise ucraniana

O antigo chanceler alemão considerou hoje numa entrevista que a União Europeia é a principal responsável da crise ucraniana por ter obrigado Kiev a escolher entre um futuro com a UE ou com a Rússia.

Numa entrevista ao jornal alemão Welt am Sonntag, Schroder, amigo de longa data do presidente russo, Vladimir Putin, defendeu que «o erro fundamental resulta da política da União Europeia (UE) a favor de um tratado de associação» que Bruxelas queria assinar com a Ucrânia.

«A UE ignorou o facto de a Ucrânia ser um país profundamente dividido culturalmente. Desde sempre, as pessoas do sul e do leste do país estão mais viradas para a Rússia e as do ocidente mais para a UE», recordou.

«Podia-se falar de um tratado de associação, mas era preciso fazê-lo com a Rússia ao mesmo tempo. O erro de partida foi dizer que seria um tratado de associação com a UE ou uma união aduaneira com a Rússia», adiantou.

Assegurando, por outro lado, que «erros foram cometidos por todas as partes», Schroder não condena a anexação da Crimeia à Rússia, na sequência do referendo considerado ilegal pela comunidade internacional.

«A anexação da Crimeia é contestada no plano do direito internacional, mas agora é uma realidade. A Crimeia decidiu em referendo que queria ser uma região russa. E isso foi aplicado». sublinhou.

Schroder também relativizou a influência de Moscovo sobre os separatistas pró-russos ucranianos.

  COMENTÁRIOS