Roma dá autorizações de permanência temporárias a imigrantes

O ministro do Interior italiano anunciou que o Governo decidiu dar autorizações de permanência temporárias «humanitárias» aos imigrantes tunisinos, que chegaram recentemente a Itália, e que lhes permite a deslocação por todos os países do espaço Schengen.

«Decidimos atribuir autorizações de permanência temporárias para protecção humanitária que permitirão [a estes imigrantes] viajar nos países do espaço Schengen», declarou o ministro Roberto Maroni, recordando que «a esmagadora maioria dos imigrantes declaram que querem juntar-se a amigos e familiares em França ou noutros países europeus».

O ministro apresentava na Câmara dos Deputados um acordo sobre imigração concluído esta semana com as autoridades tunisinas, depois da visita segunda-feira do chefe de governo italiano, Silvio Berlusconi, a Tunes.

Na Câmara dos Deputados, Maroni confirmou que se encontrará sexta-feira com o seu homólogo francês, Claude Guéant, «para definir um sistema de intervenção comum para que a França e a Itália possam envolver todos os países da União europeia».

Maroni precisou que a autorização temporária apenas se destinava aos imigrantes que já chegaram a solo italiano e que segundo o acordo concluído com Tunes, os que chegarem no futuro serão repatriados para a Tunísia.

Desde Janeiro, devido à queda do presidente tunisino, Zine El Abidine Ben Ali, e à contestação na Líbia, a Itália enfrenta um grande afluxo de imigrantes, mais de 22.000, essencialmente provenientes da Tunísia.

A maioria destes imigrantes asseguram que querem partir para França.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de