Internacional

Tsipras já é primeiro-ministro

Perante o Presidente da República, Tsipras tomou posse e comprometeu-se a "servir o povo grego" com "honra e consciência" e jurou "defender a Constituição e as leis" do país.

Tal como já tinha acontecido na anterior tomada de posse, depois da vitória nas legislativas de janeiro, tratou-se de uma cerimónia exclusivamente civil, ou seja sem a presença de qualquer elemento da cúpula da igreja ortodoxa grega.

Entretanto, da Alemanha chegou notícia de um telefonema que Angela Merkl fez ao reeleito primeiro-ministro grego.

A chanceler alemã, felicitou Tsipras pela vitória nas legislativas e prometeu cooperar estreitamente com o Governo grego quanto às crises da dívida e dos refugiados, disse o seu porta-voz.

O governo alemão diz que o terceiro resgate à Grécia é "uma base muito clara para ultrapassar a crise da dívida" e que o acordo foi assinado com a República Helénica e não com um determinado governo. "Isto significa que ele continua inteiramente válido", tratou de salientar o porta-voz de Angela Merkl.

No telefonema, os dois dirigentes falaram da cimeira europeia extraordinária sobre refugiados marcada para quarta-feira e "acordaram cooperar de forma estreita nas questões a discutir na reunião.

Sobre esse assunto, a crise dos refugiados, o primeiro ministro grego falou esta tarde, já depois da tomada de posse, criticando a União Europeia por não estar a ajudar os países que sofrem o primeiro e maior impacto da chegada dos migrantes, desde logo a Grécia.

Tsipras diz que a Europa tem de entender que se trata de um problema de todos os estados-membros, que devem, sem exceção, assumir responsabilidades na resposta que tem de ser dada.