Facebook apaga fotografia e Zuckerberg é acusado de "abuso de poder"

O maior jornal da Noruega fez capa com uma carta ao dono da rede social lamentando a decisão da empresa em censurar a fotografia da "Menina de Napalm", tirada na Guerra do Vietname.

O Facebook decidiu apagar uma publicação do Aftenposten, o maior jornal da Noruega, em que era divulgada a icónica fotografia da "Menina de Napalm", na Guerra do Vietname. Face a esta atitude, o jornal decidiu publicar na capa uma carta do seu editor e presidente executivo, Espen Egil Hansen, endereçada a Mark Zuckerberg, aquem chama "o editor mais poderoso do mundo".

Hansen acusa Zuckerberg de ter uma conduta imprudente de "abuso de poder" no Facebook, uma ferramenta essencial para a divulgação de informação. "Estou chateado, desapontando - bem, de facto até com medo - do que estás prestes a fazer ao esteio da nossa sociedade democrática".

"Estou preocupado que o mais importante agente do mundo esteja a limitar a liberdade em vez de tentar estendê-la, e que isto aconteça ocasionalmente de forma autoritária".

A controvérsia entre o jornal norueguês e o Facebook está relacionada com a decisão da rede social em apagar um artigo do escritor Tom Egeland, sobre o terror da guerra, onde aparece a fotografia da "Menina de Napalm", vencedora do prémio Pulitzer. Nela, é possível ver várias crianças a fugirem de uma bomba de napalm, incluindo Kim Phúc, a tal menina de nove anos, que corre nua pela rua.

Egeland foi suspenso do Facebook e o Aftenposten decidiu recorrer à mesma fotografia, tendo sido avisado pela rede social para que a retirasse ou a pixelizasse. "Todas as fotografias que mostrem genitais ou rabos, ou a totalidade dos seios femininos, serão removidas", explicou a empresa de Mark Zuckerberg.

Segundo o editor do jornal, antes que o Aftenposten pudesse responder ao pedido, o artigo e a imagem foram apagados. Na sua carta, Hansen diz que a decisão de apagar esta fotografia revela incapacidade da rede social em distinguir pornografia infantil de uma fotografia famosa de guerra", sem que haja espaço para "bom senso".

"Mesmo sendo o editor do maior jornal da Noruega, tenho de reconhecer que estás a restringir o meu espaço para exercitar a minha responsabilidade editorial. Penso que estás a abusar do teu poder". Hansen acusa Zuckerberg de promover a estupidez, falhando na sua missão de abrir e aproximar o mundo.

O Facebook despediu recentemente toda a sua equipa de editores, colocando no seu lugar algoritmos que têm mostrado claras dificuldades em fazer um julgamento correto de diversas situações. Hansen considera estas decisões, do que é promovido, tolerado ou banido, com recurso a algoritmos ou não, "editoriais". "Os editores não podem viver contigo, Mark, como editor mestre".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de