Facebook elimina centenas de contas falsas com ligações políticas na Índia

A rede social desmantelou uma rede de "contas falsas" ligadas a um ​​​​​​partido da oposição indiana. O Facebook está a utilizar as eleições na Índia, onde tem 340 milhões de utilizadores, para preparar a campanha presidencial dos Estados Unidos.

O Facebook anunciou ter apagado 687 páginas e contas falsas ligadas ao principal partido de oposição na Índia, poucos dias antes das maiores eleições do mundo, por causa de "comportamento inautêntico e coordenado" na rede social. O anúncio marca uma ação rara do Facebook contra um partido político.

A investigação conduzida pelo Facebook descobriu que contas falsas eram usadas para divulgar fake-news. Os posts incluíam notícias e críticas a adversários políticos, como o Partido Bharatiya Janata, do primeiro-ministro Narendra Modi, anunciou a empresa.

"Enquanto as pessoas por trás dessa atividade tentaram esconder as suas identidades, descobrimos que estavam ligadas a indivíduos associados a uma célula informática do Congresso Nacional Indiano", maior partido da oposição na Índia, informou Nathaniel Gleicher, diretor de cibersegurança do Facebook citado pela CNN . Gleicher acrescentou que o Facebook removeu as contas com base no seu comportamento e não no conteúdo das publicações.

Um teste para eleições americanas

Em declarações ao jornal indiano The Economic Times, a responsável pelo departamento que trata de eleições no Facebook, Katie Harbath, explicou a escolha do país, onde a empresa tem mais de 340 milhões de utilizadores.

"As eleições na indianas apresentam um conjunto único de questões, incluindo um grande número de idiomas e um período prolongado de votação", acrescentado que "já trabalhamos nestas eleições há mais de um ano."

Citados pelo jornal New York Times, funcionários da empresa reiteram a ideia: "A Índia é um importante teste eleitoral para o Facebook."Segundo as mesmas fontes, o desempenho da rede social será um indicador de como conseguirá lidar com um possível ataque de propaganda, desinformação ou interferência estrangeira durante a eleição presidencial de 2020 nos Estados Unidos.

"As eleições indianas são um teste importante para o sucesso de 2020 e para a condução de outras eleições", acrescentou ao New York Times o diretor do Laboratório Digital de Pesquisa Forense do Atlantic Council, Graham Brookie, que trabalha com o Facebook no estudo e combate a campanhas de desinformação.

As eleições indianas terão início a 11 de abril e terminam a 19 de maio.

O responsável pela cibersegurança da empresa anunciou também a "eliminação de 103 páginas, grupos e contas por comportamento inautêntico", parte de uma rede com origem no Paquistão e ligada a "funcionários dos serviços militares paquistaneses".

Na semana passada, o Facebook eliminou uma rede de desinformação nas Filipinas e, numa atitude pouco habitual, vinculou-a a um empresário que administrou a campanha eleitoral online do Presidente filipino em 2016. Recentemente, tomou medidas semelhantes na Rússia e Irão.

Há vários meses que Facebook, Whatsapp ou Twitter têm estado sob pressão para garantirem que eliminam das suas plataformas "conteúdos falsos" e discursos de ódio. Na semana passada, a rede social anunciou em comunicado que iria banir qualquer elogio, apoio ou representação de supremacia ou nacionalismo branco.

LER MAIS:

- Facebook vai banir todos os discursos racistas e supremacistas brancos

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de