Internacional

Alunos fazem 17 minutos de protesto pelos 17 colegas mortos na escola da Florida

Massacre no liceu de Parkland aconteceu há um mês.

Um mês depois da morte de 17 alunos numa escola da Florida, os estudantes norte-americanos saíram à rua por todo o país a exigir regulação da venda de armas. As manifestações aconteceram depois de uma interrupção de 17 minutos nas aulas, em memória dos 17 colegas mortos a tiro por um ex-aluno da escola de Parkland.

Sob o slogan "nós votamos em 2020", os estudantes exigem que os legisladores avancem com medidas de controlo à venda de armas. Até agora, a Casa Branca não aumentou o limite de idade para a venda de armas mais perigosas.

O único estado que o fez foi precisamente a Florida e enfrenta agora um processo movido pela associação que representa o lóbi dos fabricantes de armas, que acusa o estado de violar a constituição dos Estados Unidos.

O protesto que marcou o dia teve raras exceções, entre elas uma escola do Texas, que proibiu a interrupção das aulas. Os alunos que o fizeram foram ameaçados com três dias de suspensão.

  COMENTÁRIOS