Brasil

Juiz Sérgio Moro diz que Lula não violou ordem de detenção

A vara judicial de Curitiba, liderada pelo juiz brasileiro Sérgio Moro, informou que Lula da Silva não violou a ordem judicial de detenção, remetendo para a Polícia Federal o cumprimento da decisão.

Citado pelo jornal Estado de São Paulo, o gabinete de imprensa da 13.ª Vara da Justiça Federal em Curitiba explicou que o ex-Presidente brasileiro "não descumpriu ordem judicial" ao decidir não se entregar na Polícia Federal até às 17h00 de hoje.

Segundo a mesma fonte, o prazo dado pelo juiz Sérgio Moro era um período "de oportunidade", cabendo agora à Polícia Federal fazer cumprir o mandado de detenção.

Lula da Silva está no edifício do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo e a liderança do Partido dos Trabalhadores já veio dizer que o ex-Presidente irá esperar pela detenção no local.

A defesa de Lula da Silva tinha inicialmente apresentado um 'habeas corpus' junto do Supremo Tribunal Federal (STF) que foi recusado na quarta-feira pela maioria dos 11 juízes do tribunal.

Esta sexta-feira, a defesa intentou um novo 'habeas corpus' que foi também chumbado.

O antigo chefe de Estado brasileiro foi condenado a 12 anos e um mês de prisão, em regime fechado, no Tribunal Regional da 4.ª Região (TRF4, segunda instância) em janeiro.

A prisão do ex-chefe de Estado está relacionada com um dos processos da Operação Lava Jato, o maior escândalo de corrupção do Brasil. Lula foi condenado por ter recebido um apartamento de luxo como suborno da construtora OAS em troca de favorecer contratos com a petrolífera estatal Petrobras.

A execução provisória da pena não deverá impedir juridicamente a candidatura presidencial de Lula da Silva, à frente nas sondagens para as eleições de outubro.