brexit

Saída do Reino Unido da União Europeia pode sair muito cara a Portugal

Relatório sobre o impacto do Brexit no espaço ibérico indica que Portugal pode perder 420 milhões de euros por ano, mas o estudo também sugere opções para aliviar a situação.

As barreiras comerciais decorrentes da saída do Reino Unido da União Europeia ('Brexit') podem custar 420 milhões de euros por ano a Portugal, de acordo com um relatório divulgado esta quarta-feira pela consultora Oliver Wyman.

PUB

"O custo provocado pelo 'Brexit' nas relações comerciais entre Portugal e o Reino Unido pode chegar aos 420 milhões de euros", indica a consultora Oliver Wyman no relatório 'Impacto do Brexit: Análise Ibérica', divulgado esta quarta-feira.

A consultora antecipa que a implementação de novas barreiras tarifárias e não tarifárias vai representar custos adicionais para as empresas até 500 milhões de euros.

"No entanto, [estes custos] podem ser mitigados até 80 milhões (cerca de 20% do impacto) através de ajustes na cadeia de abastecimento (opção por fornecedores locais) e repatriação de investimentos estratégicos, aproximando a produção para níveis mais próximos da procura", indica o relatório.

Os setores do grande consumo (92 milhões de euros), automóvel (90 milhões de euros), agroalimentar (57 milhões de euros), químicos e plásticos (36 milhões de euros) e industrial (35 milhões de euros) concentram cerca de 75% do impacto, adianta a consultora no estudo que faz uma estimativa dos custos burocráticos anuais decorrentes do 'Brexit' nas exportações e importações entre Portugal e o Reino Unido.

A consultora de gestão global fundada em 1984 indica que, em termos de impacto relativo, será a indústria automóvel portuguesa a mais afetada pelo 'Brexit', "no valor de 2,7%, sobre o seu valor acrescentado bruto, seguindo-se o setor da metalurgia e mineração (2,2%) e o setor aeroespacial (2,1%)".

A Oliver Wyman explica que "a maioria destes setores tem, no entanto, números de impacto absoluto menores, uma vez que o volume das suas exportações é menor em comparação com os principais setores".

A consultora indica também que o Reino Unido é o quarto maior destino de exportações portuguesas na União Europeia, com exportações no valor de quatro mil milhões de euros em 2016, e adianta que Portugal figura entre os dez países da União Europeia que serão mais afetados pelas restrições comerciais na sequência do 'Brexit'.

O 'top 3' dos países mais prejudicados pela saída do Reino Unido da União Europeia inclui a Alemanha (com um impacto previsto de 9.400 milhões de euros), a Holanda (4.400 milhões de euros) e a Bélgica (3.900 milhões de euros).

O parlamento britânico voltou na terça-feira a chumbar o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia (UE), com 391 votos contra e 242 a favor.

A União Europeia ficou dececionada com o chumbo do Acordo de Saída do 'Brexit' no parlamento britânico, mas revelou que os 27 estão disponíveis a considerar um adiamento da saída do Reino Unido, consoante os motivos evocados por Londres.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, defendeu na terça-feira que a principal preocupação de Portugal é prosseguir a preparação para qualquer cenário do 'Brexit', incluindo a ausência de acordo.

  COMENTÁRIOS