Pelo menos 150 detidos e 45 feridos nos protestos em Paris

Capital francesa regista o 18.º fim de semana de protestos.

Mais de 150 pessoas foram detidas e 45 ficaram feridos este sábado devido aos violentos distúrbios ocorridos durante os protestos dos "coletes amarelos" na capital francesa, segundo o jornal francês Le Monde.

No 18.º fim de semana consecutivo de manifestações contra o presidente Emmanuel Macron, várias lojas foram pilhadas e incendiadas no centro de Paris e os manifestantes confrontaram a polícia, que respondeu com gás lacrimogéneo e canhões de água.

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, que se deslocou aos Campos Elísios, a avenida que atravessa o centro de Paris, para mostrar apoio à polícia antimotim e aos bombeiros, prometeu "punir severamente" os radicais responsáveis pela violência "inaceitável".

Philippe considerou que "os que desculpam ou encorajam" tais atos tornam-se "cúmplices".

O ministro do Interior, Christophe Castaner, criticou a ação de "profissionais da desordem" e pediu ao responsável pela polícia para responder "com a maior firmeza".

Castaner indicou que cerca de 1.500 militantes "ultraviolentos" se infiltraram entre os cerca de 10.000 que se manifestaram em Paris.

Segundo as autoridades, 14.500 pessoas manifestavam-se em toda a França às 13h00 (mesma hora em Lisboa).

O número de manifestantes tinha vindo a diminuir nos últimos fins de semana e os organizadores esperavam dar hoje nova vida ao movimento.

As ações deste sábado marcam também o fim de um debate nacional organizado por Macron durante dois meses para responder às preocupações dos manifestantes: diminuição do nível de vida, salários estagnados e elevado desemprego.

Continuar a ler