protestos

Incêndios, centenas de detenções e confrontos. "Coletes amarelos" nas ruas de Paris

Polícia francesa dispersa manifestantes com gás lacrimogéneo, granadas de atordoamento e canhões de água. Há carros a arder nas ruas.

Terminamos aqui a cobertura da tarde de confrontos em Paris. As novas atualizações (noturnas) passam para esta publicação .

Atualização às 18h00: Várias ruas que dão acesso aos Campos Elísios estão fechadas. O número oficial de detidos subiu para 220 pessoas.

Atualização às 17h45: Ministro-adjunto do Ministério da Administração Interna admite que as forças de segurança estão a sentir muitas dificuldades em controlar os grupos extremistas "devido à sua mobilidade". O responsável espera que "muito rapidamente" a ordem seja restabelecida.

Atualização às 17h10: Polícia francesa diz já ter detido 205 pessoas em Paris. Ministro da Saúde francês diz que os motins são "inaceitáveis" e acusa "grupos extremistas" de terem tomado conta da situação.

Os "coletes amarelos" já provocaram este sábado incidentes em várias ruas de Paris, onde estão reunidos para o terceiro dia de ação nacional. Pode acompanhar aqui imagens em direto das ruas de Paris.

A Reuters adianta que a polícia trava uma autêntica "batalha campal" com os protestantes e reporta que a maior parte dos confrontos está relacionada com grupos de extrema-direita e extrema-esquerda que se terão infiltrado nos "coletes amarelos".

O dia de mobilização dos "coletes amarelos" reunia este sábado, ao meio-dia, menos de 36 mil manifestantes em toda a França e 5.500 em Paris, acrescentou fonte oficial.

Pelas ruas de Paris é possível ver os estragos provocados por alguns dos grupos mais conflituosos que se inseriram nestas manifestações.

Foi incendiada uma agência bancária, bem como vários carros, e há nuvens de gás lacrimogéneo pela capital francesa.

Dia começou com confrontos e detenções

A polícia francesa tem recorrido a gás lacrimogéneo, granadas de atordoamento e canhões de águas para dispersar os grupos de manifestantes.

Passavam poucos minutos das 10 horas da manhã quando Cristophe Castaner, o ministro francês do Interior dava conta dos números dos manifestantes: 200 manifestantes pacíficos nos Campos Elísios e 1500 "perturbadores". A esta hora, as detenções eram já 39.

Por volta das 9h locais (8h em Lisboa), os manifestantes tentaram forçar um posto de controlo na praça da Estrela, provocando uma resposta da polícia, que usou gás lacrimogéneo.

Desde as 6h locais (5h em Lisboa), a avenida parisiense está fechada ao tráfego e sujeita a uma vigilância policial apertada para evitar grandes aglomerações de pessoas.

Depois de serem dispersos da praça do Arco do Triunfo, que ainda estava aberta ao tráfego, os manifestantes, alguns encapuzados e mascarados, recuaram para as avenidas adjacentes, disse um jornalista da AFP.

Numa delas, a avenida Mac-Mahon, latões de lixo foram derrubados e incendiados, provocando um pequeno incêndio no meio da estrada.

O movimento de "coletes amarelos" nasceu espontaneamente num sinal de protesto contra a taxação de combustíveis em França.

As ações de contestação estão a causar grande embaraço ao Governo francês, tendo corrido mundo as imagens de confrontos entre manifestantes vestindo coletes amarelos e a polícia, no passado sábado, na emblemática avenida dos Campos Elísios.

  COMENTÁRIOS