Encontrados corpos dos dois pilotos do avião caça que se despenhou em França

Autoridades tinham esperança de encontrar pilotos com vida, mas buscas acabaram por revelar o pior cenário.

Os cadáveres dos dois pilotos do caça Mirage 200D que se despenhou quarta-feira no leste de França foram localizados esta quarta-feira, anunciou a ministra da Defesa, Florence Parly, em comunicado.

"As operações de resgate do 'irage 200D, cujo sinal foi perdido na quarta-feira de manhã, confirmaram, infelizmente, a morte dos membros da tripulação, o capitão Baptiste Chirié e o tenente Audrey Michelon", afirmou a ministra, sem precisar as circunstâncias do acidente.

Os destroços do caça Mirage 2000D desaparecido quarta-feira de manhã dos radares no leste de França foram encontrados no departamento de Jura, perto da fronteira com a Suíça, prosseguindo ainda as buscas dos dois tripulantes.

"Esperamos encontrá-los com vida. Neste momento, estão dados como desaparecidos", declarou o porta-voz da Força Aérea francesa, o coronel Cyrille Duvivier, numa conferência de imprensa em Paris.

Os dois membros da tripulação - piloto e navegador - não deram qualquer sinal de vida desde o desaparecimento do aparelho que tinha descolado da base aérea de Nancy-Ochey, no leste de França, e efetuava um voo de treino a baixa altitude.

Os destroços do avião foram localizados na zona da aldeia de Mignovillard, em torno da qual as buscas se centraram, indicou uma fonte próxima das equipas de socorro.

Segundo o diário L'Est Républicain, um paraquedas e um mapa estavam entre o material encontrado no cimo da aldeia, localizada a 1.050 metros de altitude.

Além dos paraquedas dos pilotos, o Mirage 2000D está equipado com um paraquedas de travagem na aterragem que se encontra na cauda do aparelho.

Um forte dispositivo de busca -- incluindo aviões caças que se encontravam na zona e helicópteros -- foi mobilizado para tentar localizar o aparelho desaparecido dos radares ao fim da manhã.

Na sua conta da rede social Facebook, a guarda do departamento do Jura precisou que o avião desapareceu "quando sobrevoava o maciço jurássico entre Mouthe (Doubs)/Mignovillard (Jura) e a fronteira suíça".

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de