EUA

Furacão Florence perdeu força, mas os efeitos podem ser "catastróficos"

Há registo de inundações, falhas de energia e milhares de pessoas colocadas em abrigos. Além dos efeitos nas zonas costeiras, esperam-se estragos no interior dos estados da Carolina do Norte e Carolina do Sul.

Com ventos de 150 quilómetros por hora e chuvas torrenciais, já se sentem os efeitos do furacão Florence na costa leste dos Estados Unidos, mas, o pior ainda está para vir. Segundo as autoridades norte-americanas, o furacão perdeu força e baixou da categoria 2 para categoria 1 na escala de intensidade de Saffir-Simpson - com uma ligeira diminuição da velocidade do vento -, mas, ainda assim os motivos para preocupação continuam a ser muitos.

Nas últimas horas, e para evitar que os cidadãos desvalorizem os potenciais efeitos do Florence, o diretor da Agência Federal de Emergências avisou os norte-americanos para que "não baixem a guarda", se protejam e deixem as zonas costeiras enquanto o furacão se prepara para atingir os estados da Carolina do Norte, da Carolina do Sul e da Virgínia - três estados em que mais de um milhão e meio de pessoas está em risco e tem ordem de retirada.

Muitos estragos provocados pelo vento e inundações provocadas por subidas do nível da água que podem chegar aos três metros, são algumas das previsões por parte das autoridades, que entretanto já começaram a acorrer a centenas de emergências.

Na Carolina do Norte, onde já se verificam inundações "significativas" nas cidades de Wilmington e Rocky Point. Pelo menos 12 mil pessoas já seguiram para os cerca de 130 abrigos preparados pelas autoridades e há relatos de falhas de energia que deixam perto de 150 mil residências sem energia elétrica.

"Esta tempestade vai trazer a destruição", disse o Governador da Carolina do Norte, Ray Cooper, que adiantou na última madrugada que "vão sentir-se efeitos catastróficos".

O Serviço Meteorologia dos Estados Unidos, que já tinha sublinhando que o Florence não iria atingir apenas as zonas costeiras - e que as chuvas torrenciais vão ocorrer também no interior dos estados afetados pelo furacão -, emitiu esta manhã um aviso de tornado para a cidade de Hollister, localizada no interior do estado da Carolina do Norte.

De acordo com o Centro de Furacões dos Estados Unidos, que também releva o potencial "catastrófico" do fenómeno, o furacão move-se para terra a cerca de nove quilómetros por hora, dando ao Florence mais tempo para "sugar água" e levar "grandes quantidades de chuva para o interior do território norte-americano".

À medida que a tempestade se aproxima, Donald Trump e as autoridades pedem aos moradores das zonas costeiras que abandonem as habitações, mas o presidente norte-americano garante que tudo está preparado. "Estamos completamente prontos para o furacão Florence, enquanto a tempestade se torna maior e mais poderosa. Sejam cautelosos!", escreveu Donald Trump na rede social Twitter.

  COMENTÁRIOS