touradas

Colômbia quer acabar com as corridas de touros

O Governo colombiano cancelou este sábado as corridas de touros no país e pediu ao parlamento para debater um projeto de lei que elimine a festa brava no território nacional.

Em comunicado, o Ministério do Interior assegura que "tudo indica que a festa brava se está a extinguir por decisões judiciais e por uma mudança da cultura urbana".

Esta decisão foi divulgada horas antes da praça de touros de Santa Maria, em Bogotá, abrir portas para receber uma novilhada, com a qual inicia a temporada taurina, que inclui a apresentação dos toureiros espanhóis Julián López, "El Juli", Enrique Ponce, Sebastián Castella, Cayetano Rivera, e o colombiano Luis Bolívar.

O ministério refere que o Tribunal Constitucional já se pronunciou sobre o caso e pediu ao parlamento que legisle sobre esta matéria, tendo-lhe dado um prazo até 10 de maio de 2019.

Segundo dados do Consorcio Colômbia Taurina, no ano passado venderam-se 28.000 bilhetes, metade da média dos anos anteriores.

Na mesma nota, o ministério também pede para que as manifestações contra a festa brava "se façam de forma organizada e pacífica".

A Colômbia é um dos oito países no mundo onde são permitidas as corridas de touros.