Governo santomense abriu inquérito ao naufrágio do Amfitriti

Foram resgatadas com vida 55 pessoas.

O primeiro-ministro são-tomense, Jorge Bom Jesus, anunciou hoje a "abertura imediata de um inquérito" ao naufrágio de um navio, ocorrido esta manhã ao largo da ilha do Príncipe, que causou pelo menos sete mortos.

"Todas as medidas estão a ser tomadas, para em primeiro lugar se encontrar rapidamente os desaparecidos e garantir toda a assistência aos sobreviventes, e num segundo momento, se proceder à abertura imediata de um inquérito para se apurarem as causas deste trágico acidente e assacar as eventuais responsabilidades", afirmou o chefe do Governo de São Tomé e Príncipe, em declarações aos jornalistas.

O naufrágio do navio "Amfitriti", que fazia a ligação entre as ilhas de São Tomé e do Príncipe, causou a morte a sete pessoas -- quatro crianças e três adultos -- e dez pessoas continuam desaparecidas, referiu o primeiro-ministro.

De acordo com as autoridades do Príncipe, constam da listagem dos passageiros duas cidadãs portuguesas e um francês, ainda desaparecidos.

Segundo Jorge Bom Jesus, até ao momento "foram resgatadas com vida 55 pessoas, que já se encontram na região autónoma do Príncipe", tendo três sido levadas para São Tomé por terem "ferimentos graves".

"Em meu nome pessoal e do governo central, quero endereçar profundos sentimentos de pêsames às famílias enlutadas e a toda a população no geral, assegurando ao governo regional todo o apoio e solidariedade institucional que a situação impõe", disse o primeiro-ministro.

LEIA MAIS:

- Duas portuguesas desaparecidas em naufrágio no Príncipe. Marinha participa nas buscas

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de