Jovens vão salvar o planeta? Em França, 40 mil estiveram nas ruas a lutar pela mudança

"É preciso uma mudança." Jovens franceses pretendem ajudar a evitar a destruição do planeta e, como em muitos outros países, saíram e vão continuar a sair às ruas.

Estudantes de mais de 120 países manifestam-se hoje em defesa do planeta. Consideram ser "a última geração" a poder evitar uma catástrofe ambiental. As redes sociais foram a rampa de lançamento deste apelo massivo para salvar o planeta que atravessou a Argentina e o Irão, passando por Bangladesh, a China ou ainda a Nigéria. Os estudantes franceses manifestam há um mês e prometem prosseguir o movimento.

Em Paris, os organizadores da greve anunciaram que 40 mil estudantes fizeram greve esta sexta-feira.

A praça do Panteão serviu de ponto de partida para uma marcha que se espalhou pelas ruas da capital francesas. Estes jovens deixaram de confiar nos responsáveis políticos, mas acreditam na mudança.

"É preciso uma mudança. Estamos a destruir o planeta. É o nosso planeta, é uma herança dos nossos pais. É nosso e estamos a destruí-lo. Queremos mostrar que não concordamos com o que está a acontecer e o que queremos são mudanças", defende um estudante de 14 anos, que volta a fazer greve pela terceira sexta-feira consecutiva.

Crianças e famílias também se juntaram à greve. É o caso de Julien que manifesta pela primeira vez, dizendo não concordar com o aquecimento global, "as coisas não estão bem... o planeta está a ficar muito quente e é por isso que vim aqui manifestar com o meu avô".

O avô de Julien explica porque se juntou à maré de estudantes com o neto, "vim pelo planeta, pelo meu neto e pelo seu futuro, para o proteger e para que ele tenha uma vida tão bonita como eu tive".

Cânticos, rimas e cartazes, onde se podiam ler frases como "As vossas pegadas ecológicas estão a pisar o nosso futuro" ou ainda "De que forma é que é preciso falar com vocês?".

A cada sexta-feira, os jovens franceses faltam às aulas, exigindo uma reação rápida, "o que queremos são reações por parte dos políticos que não cuidam do planeta. Queremos que as grandes empresas parem de poluir ao exportar os produtos. É preciso agir agora porque depois já vai ser tarde".

A manifestação começou em frente ao Panteão Nacional, onde 40.000 estudantes, crianças e adultos se juntaram para dar início a uma marcha em defesa do planeta. Dizem ser o futuro do planeta e lutar contra uma catástrofe ambiental.

Continuar a ler