Brasil

Lula tenta novo habeas corpus

Votação do Supremo Tribunal Federal, na madrugada de quinta-feira, recusou habeas corpus para o ex-presidente. Defesa de Lula vai tentar outra vez.

A primeira tentativa de habeas corpus caiu por terra na madrugada de quinta-feira, quando uma votação (6-5) do Supremo Tribunal Federal (STF) ditou que Lula não continuará em liberdade. A juíza Rosa Weber, o tal "voto incógnito" que prometia balançar a votação, ditou fado de Lula. Agora, a defesa do ex-presidente do Brasil tenta novo habeas corpus, avança o Estadão.

"Ainda não se sabe quando o novo pedido de habeas corpus da defesa será julgado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Ainda ontem, um advogado de São Paulo pediu um outro HC ao STJ, que será analisado pelo ministro Felix Fischer, da Quinta Turma da Corte", escreve o jornal brasileiro.

A defesa de Luiz Inácio Lula da Silva não tem uma "definição exata" do local para a possível entrega à justiça do ex-Presidente brasileiro, segundo fontes policiais, sem descartar a possibilidade de que se entregue em São Paulo.

"Não há uma definição exata do que querem fazer", assinalaram fontes da polícia federal (PF) a um reduzido grupo de jornalistas na porta da sede do organismo na cidade de Curitiba, no Paraná, sul do Brasil.

Após a votação do Supremo Tribunal Federal, o juiz Sérgio Moro determinou a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva, que foi condenado a 12 anos e 1 mês por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O antigo presidente brasileiro recebeu a indicação para se apresentar até às 17h00 (21h00 na hora de Lisboa) desta sexta-feira, de forma voluntária, na Polícia Federal, em Curitiba, por ordem do juiz, que proibiu também o uso de algemas durante a detenção.

O advogado de Lula da Silva questionou, na noite de quinta-feira, a ordem de prisão, frisando que o próprio Tribunal Federal da 4ª Região (TRF4) havia determinado, ao condenar o ex-presidente a 24 de janeiro passado, que a sua prisão só seria decretada depois de todos os recursos naquela órgão de segunda instância tivessem terminado.